O governo brasileiro comemorou as medidas cautelares adotadas pela Corte Internacional de Justiça (CIJ) em relação à guerra entre Israel e o Hamas, que demandam do governo israelense garantias de que os habitantes da Faixa de Gaza tenham acesso a ajuda humanitária.

Segundo comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), o governo “saúda” a decisão da CIJ, ressalta o caráter vinculante das medidas e “espera que possam resultar em urgente alívio humanitário para Gaza e em ambiente de diálogo político que permita um cessar-fogo definitivo, a libertação imediata de todos os reféns e a retomada de negociações para a solução de dois Estados, com um Estado da Palestina economicamente viável convivendo lado a lado com o Estado de Israel, em paz e segurança, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas”.

As medidas da CIJ, adotadas na última quinta-feira, 28 de março, determinam que o governo israelense, em cooperação com as Nações Unidas, garanta o fornecimento de serviços básicos e de assistência humanitária aos palestinos em Gaza e que os direitos da população de Gaza – acesso à ajuda humanitária, por exemplo – sejam respeitados pelas forças militares de Israel.

Também pedem que Israel apresente em um mês relatório acerca da implementação das medidas indicadas.

Estadão Conteúdo