Denúncia

AGU envia queixa-crime contra DEPUTADO por RACISMO, após declarações sobre QI de AFRICANOS

A Advocacia-Geral da União (AGU) enviou, na segunda-feira, 3 de julho, à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma queixa-crime contra o deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO). A medida foi tomada após uma entrevista concedida pelo parlamentar a um programa de podcast (material em áudio disponível em dispositivos com acesso à internet) na semana passada.

Segundo a AGU, Gayer teria associado africanos a pessoas com quociente de inteligência (QI) baixo. Durante a conversa com o apresentador Rodrigo Barbosa Arantes, o deputado teria dito que a população daquele continente não tem capacidade para viver em um regime democrático.

Para a AGU, as declarações do deputado foram discriminatórias.

“A manifestação é claramente discriminatória, pois diferencia a capacidade cognitiva de seres humanos considerando a origem africana, continente em que sabidamente a maioria da população é negra, concluindo que não teriam aptidão para compreender regime democrático”, concluiu o órgão.

Caberá ao procurador-geral da República, Augusto Aras, avaliar a notícia-crime. O documento foi elaborado pela Procuradoria Nacional da União de Defesa da Democracia (PNDD).

Leia mais:
>>>FLÁVIO DINO afirma que vai acionar AGU para cobrar indenização de BOLSONARO; SAIBA O MOTIVO

Entenda o caso

Durante a entrevista, o apresentador Rodrigo Arantes falou que não acredita que a democracia funciona no Brasil, porque a população não demonstra capacidade para cobrar seus direitos e fazer os seus deveres. Ele também comparou humanos e macacos e que o QI no continente africano é de 72.

“Aí, você vai ver na África quase todos os países são ditadores, quase tudo lá é ditadura. Democracia não prospera na África porque, para você ter uma democracia tem que ter o mínimo de capacidade cognitiva de entender entre o bom e o ruim, o certo e o errado”, respondeu o deputado.

Defesa

A Agência Brasil entrou em contato com o gabinete de Gustavo Gayer e aguarda retorno.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Gayer disse que sua entrevista foi tirada de contexto e publicada na internet. O parlamentar afirmou que fez comentários sobre a qualidade da educação e subnutrição no continente, fatores que, segundo ele, têm impacto no QI da população.

Da redação do Portal  com informações da Agência Brasil