Continua após a publicidade:

A Polícia Federal, prendeu em flagrante, na quinta-feira, 27 de junho, por volta das 9h, no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, uma mulher (autônoma-projetista de móveis) de 20 anos, natural de Manaus/AM e residente em São Paulo/SP-(não possui antecedentes criminais).

A prisão aconteceu durante os trabalhos de fiscalização de rotina destinados a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes bem como outros tipos de crimes praticados no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre.

Continua após a publicidade:

Entre em nosso canal de transmissão no TELEGRAM e fique por dentro das últimas notícias sobre POLÍTICA, FUTEBOL, CONCURSOS e RELIGIÃO em um só lugar.

Os policiais federais lograram êxito em identificar dentro da mala de uma passageira vindo de Manaus/AM quando tentava embarcar em Recife/PE com destino final em Guarulhos/SP, 06 (seis) invólucros, misturados entre suas roupas, com uma concentração de substância orgânica que após exame narcoteste resultou positivo para cocaína, totalizando um peso bruto de aproximadamente 3.1Kg (três quilos e cem gramas)

Terminada a abordagem policial e tendo sido encontrada a droga, a presa recebeu voz de prisão em flagrante e foi conduzida para a Sede da Polícia Federal objetivando realizar os procedimentos de Polícia Judiciária, onde acabou sendo autuada pela prática do crime contido no artigo 33 c/c artigo 40, item I da Lei nº 11.343/2006 (tráfico internacional de drogas) e caso seja condenada poderá pegar penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão. Além da droga também foi apreendido um aparelho celular.

Continua após a publicidade:

Em seu interrogatório a presa informou que pegou a droga na cidade de Letícia/Colômbia, que faz fronteira com o Amazonas.

Disse também que sabia que estava transportando material entorpecente só não sabia qual tipo de droga e que quando entregasse a droga em São Paulo receberia a importância de 2 mil reais. Por fim não deu maiores detalhes de quem havia lhe repassado o entorpecente e a quem entregaria.

A presa já passou por audiência de custódia e foi liberada e responderá ao processo em liberdade, ficando à disposição da Justiça Federal.