A Justiça de Goiás decidiu libertar o pastor Davi Vieira Passamani, suspeito de cometer crimes sexuais contra fiéis da igreja que ele liderava, em Goiânia.

A decisão, emitida na última terça-feira (23), atendeu a um pedido de habeas corpus da defesa do pastor, impondo-lhe restrições, como o uso de tornozeleira eletrônica, após sua liberação.

O advogado de Passamani, em comunicado, esclareceu que o Tribunal considerou que não havia fundamentos legais para manter o pastor detido preventivamente, assim revogando sua prisão.

Continua após a publicidade:

O advogado, Luiz Inácio Medeiros Barbosa, também destacou que foram estabelecidas outras medidas cautelares para assegurar o adequado andamento do processo penal até a conclusão da sentença.

A Diretoria-Geral de Polícia Penal (DGPP) confirmou que Passamani já foi solto da prisão e está utilizando uma tornozeleira eletrônica.

Passamani é o fundador da Igreja Casa, em Goiânia, mas renunciou à presidência e liderança religiosa em dezembro de 2023, após ser acusado de importunação sexual por uma fiel.

Ele foi preso em 4 de abril, ao chegar para um evento religioso em outra igreja em Jardim Goiás, na capital. A Polícia Civil iniciou investigações após duas mulheres que frequentavam a Igreja Casa denunciarem crimes sexuais cometidos por ele durante sua liderança na instituição.

De acordo com a delegada Amanda Menucci, Passamani se aproveitava de mulheres emocionalmente vulneráveis e até usava versículos bíblicos para se aproximar delas.

Continua após a publicidade:

Uma das vítimas denunciou Passamani no final de 2023, e capturas de tela mostram a troca de mensagens, na qual o pastor perguntou se ela estava bem e, em seguida, passou a fazer perguntas sobre o relacionamento dela.