A Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) representa um modelo de política pública que não produz mais efetividade para a população. O problema da segurança pública é crônico em todo país. O fechamento de algumas unidades e a declaração do Ministro Jungmman de que outras unidades podem ser fechadas demonstram como ações de longo prazo devem ser pensadas em seus mais variados viés: social, político e econômico. Mais uma vez, tanta a máquina pública federal, assim como a máquina pública estadual, no caso a do Rio de Janeiro, demonstram que enquanto a Segurança Pública não for pensada e executada enquanto política de Estado e não enquanto política de governo tal problema tende a se enraizar cada vez mais no nosso meio social.

Por:  Patrícia Barbosa

 Advogada civilista, especialista em direito público e privado

Diretora do Meeting Jurídico, membro da Comissão da Mulher Advogada da OAB/PE, da Comissão da Criança e do Adolescente OAB/PE, Coordenadora do Curso de Pós-Graduação de Perícia e Auditoria da Faculdade Esuda.