Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

Edvaldo Rufino de Melo e Silva, mais conhecido como Vavá Rufino, foi prefeito por três vezes em Moreno, e, em janeiro de 2017, começou o quarto mandato à frente do município. Nos recebeu para uma conversa sobre sua gestão e também história política.

Vavá tem uma forte vinculação ao movimento municipalista. Foi, inclusive, presidente da AMUPE – Associação Municipalista de Pernambuco. “É no município que o cidadão mora, e é lá que existem os problemas. Deveria ser através dos municípios o caminho para ter essas soluções. Mas é no sistema federativo aonde nós lutamos para que haja um novo pacto. A cada ano há os movimentos municipalistas que debatem, e evidentemente isso deve ser uma constante para mudar esse quadro de distribuição dos tributos que são arrecadados, mas que a grande parte fica na União”. 

Após 12 anos, Vavá Rufino, de volta à Prefeitura fala que encontrou a cidade com problemas em áreas bem sensíveis. Entre os 14 municípios integrantes da Região Metropolitana, Moreno ficou em último lugar no quesito Educação em avaliações do IDEB e em outros indicadores oficiais. Na área da Saúde, o prefeito havia deixado duas unidades hospitalares em que atendia procedimento de parto. Atualmente, a gestante morenense não conta mais com esse serviço. E das doze Unidades de Saúde da Família deixadas em funcionamento por Vavá em 2004, ele agora encontrou apenas sete funcionando, e de forma precária. “É um processo de restauração, de recomposição com base numa política planejada para que a gente possa enfrentar essa realidade e colocar Moreno  em outra condição – uma que seja de respeito ao cidadão, de diálogo com a sociedade, de diálogo com os servidores municipais, e, dessa forma, a gente possa vislumbrar uma condição melhor”, declarou o prefeito de Moreno.
A principal vocação econômica de Moreno é seu parque industrial. Há um projeto do governo do Estado para desenvolvê-lo. Já existe uma unidade de produção da empresa Tramontina instalada no local. A Tramontina, inclusive, vai ampliar sua linha de fabricação no município. “Isso vai gerar emprego, renda e economia para o nosso município, mas estamos buscando gerar novas alternativas territoriais para que possamos despertar interesses nessa área por parte de empreendedores e empresários”, informou o gestor municipal.

Foto:Beto Dantas/Portal de Prefeitura

Para que o parque industrial morenense se desenvolva, há algumas questões importantes a serem levadas em máxima consideração. A primeira delas, elencada por Vavá, foi a questão da Barragem do Engenho Pereira, que também já chamou a atenção do Senador Armando Monteiro. Em seguida, Rufino acrescentou: “Moreno está perto do grande centro consumidor, a área metropolitana do Recife. Também é cortado pela BR-232 e da PE-7, que são duas vias de acesso ao Recife”. O prefeito levantou ainda a questão do arco metropolitano. “Em Moreno, o arco metropolitano terá uma extensão de 12 quilômetros. Será uma área que, pelas características naturais e ambientais de Moreno, poderá ser bem utilizada pela questão da logística, pois vai ligar o polo de Suape ao polo automobilístico, entre sul e norte”.
Outra preocupação de Vavá Rufino diz respeito à violência urbana municipal. Moreno se encontra numa situação adversa em relação aos índices de CVLI – Crimes Violentos Letais Intencionais. “A gente não pode manter um quadro como esse. Daí nós lançamos programas específicos, o “Moreno em Ordem”, por exemplo. Com ele nós já constatamos no segundo semestre de 2017 um declínio de 45% nos homicídios em relação ao primeiro semestre do mesmo ano”.

Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

O “Moreno em Ordem” subdivide-se em 14 projetos voltados para a redução da violência urbana. Entre esses projetos estão a Implantação da Patrulha Maria da Penha e um projeto de rede de segurança ostensiva da Guarda Municipal. Tem como elementos fundadores da ordem pública a Segurança, a Tranquilidade e a Salubridade. 

O Programa consiste numa série de ações, com a participação de parcelas importantes da sociedade, com o objetivo de reduzir os índices de violência na cidade. O coordenador da implantação do Programa é o Professor Júlio Cezar Costa. Especialista em Segurança Pública, ele também é coordenador e consultor de um Programa semelhante, o “Camaragibe da Paz”, atualmente em curso.

Projeto “Avante Moreno”

Este é um Programa lançado em 01/02/18, mas que representa um trabalho realizado ao longo de 2017.  “Nós buscamos nos articular com os parlamentares que se dispuseram a ajudar Moreno, isso desde a campanha. Já fizemos uma ampla aliança com 20 partidos, e já na campanha dizíamos com clareza que o mais importante não era ganhar as eleições, mas era governar respondendo aos anseios e expectativas e necessidades da população”. Como resultado destas articulações políticas, o prefeito conseguiu várias emendas que foram consubstanciadas no orçamento da União. Vavá também conseguiu o que chama de voluntários, ou seja, não são emendas, mas são ajudas que, para se efetivarem, precisam de articulação e participação de parlamentares. O resultado de toda essa ajuda foi a seguinte: Moreno já consignou no orçamento, através de contratos e convênios com os Ministérios, recursos na ordem de mais de 14 milhões. “E, evidentemente, como é um leque razoável para um município como Moreno, mas tudo conseguido com referência ao orçamento de 2017, nós entendemos que era necessário estruturar isso em um Programa que denominamos “Avante Moreno” no qual suas ações trabalham com áreas como desenvolvimento urbano, Educação, Saúde, infraestrutura.  

Entre essas ações está a preocupação da regulamentação fundiária, que, segundo estudos, irá contemplar de 8 a 10 mil famílias. “Essas famílias residem há anos, e, às vezes, a décadas, em imóveis construídos em áreas das quais não se tem a propriedade. Nós vamos fazer um processo de regularização fundiária, e acreditamos que dentro de dois anos possamos concluir isso, tanto na cidade como no distrito de Bonanza, na Cidade de Deus e também em Curvado de Massaranduba”, informou Vavá Rufino.

Ao falar sobre a ajuda de parlamentares que tem auxiliado o município de Moreno, Vavá citou nominalmente alguns. “Tem o Betinho Gomes, que tem me ajudado consideravelmente, o Augusto Coutinho, o Pastor Francisco Eurico, Marinaldo Rosendo, Ninho, Jorge Corte Real. Tem também os senadores Armando Monteiro, Humberto Costa e Fernando Bezerra Coelho”. O prefeito de Moreno ainda disse que, por causa das atuais dificuldades do município, trabalha para buscar a união de forças. “Moreno não está em condição de fazer oposição a ninguém”, afirmou Rufino.

Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

Foto: Beto Dantas/Portaldeprefeitura

Ao final da entrevista, perguntamos ao prefeito de Moreno o que ele gostaria de deixar aos morenense como legado de sua gestão municipal. Ele declarou: “Nós fizemos o nosso orçamento de 2017 para 2018 considerando os ODS, que são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que é um programa das Nações Unidas subscrito por 193 países, para que a gente possa buscar o desenvolvimento, mas levando em consideração a questão ambiental, a social, a cultural, porque não basta apenas crescer”. Um crescimento que traga melhores condições de vida para a sociedade morenense é o que Vavá Rufino quer deixar na memória dos cidadãos de Moreno.