Foto: Beto Dantas.

Após um longo dia de discussões a respeito de sua candidatura ao Governo do Estado de Pernambuco, a Vereadora do Recife pelo PT, Marília Arraes, sofreu um grande revés quanto as suas pretensões para as eleições 2018.

O dia começou com uma notícia tratada por muitos como fakenews, publicada no Blog do Edmar Lyra, que dizia em sua manchete: “Marília Arraes é rifada em definitivo pelo PT!”

Logo após a blogueira Noélia Brito, publicou em suas redes sociais que a informação era mentirosa e creditou o “fake news” a assessores de Humberto Costa (PT). Tal informação foi enfatizada pela entusiasta da candidatura de Marília Arraes ao Governo do Estado, a Deputada Teresa Leitão, que afirmou: “Isso não existe.”

Mais tarde, a Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores, decidiu por 17 votos a 8, apoiar a reeleição do governador de Pernambuco Paulo Câmara, publicando, logo após, uma resolução em que declarava apoio, aos candidatos a governador do PSB, nos Estados do Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco, além da candidatura do PCdoB no Maranhão, o que acabou minando a candidatura pleiteada pela Marília Arraes.

Assim, com o intuito de aparar as arestas e talvez demonstrar força ante a situação que se apresenta, a então candidata ao governo do estado Marília Arraes, convocou uma coletiva de imprensa no início desta noite.

Na coletiva de imprensa Marília Arraes destacou:

“Na verdade estamos vivendo uma guerra de nervos, há alguns meses, em razão do grande esforço que o PSB tem feito para evitar que o PT tivesse sua candidatura própria. E é um esforço, feito dentro de gabinete, que não tem diálogo com a base nem com a militância, e nem dentro e nem fora do PT. Já está fazendo 1 (um) ano que o Diretório Estadual do PT, decidiu pela candidatura própria e politicamente nada mudou.”

“Nós temos em Pernambuco, um governo extremamente ruim, um governador extremamente desgastado, um grupo político acéfalo, que não sabe para onde vai e que cambaleia ideologicamente na gestão.” 

“Não há como comparar a eleição do ano de 2018, a nenhuma outra, ante o momento político que estamos vivendo no Brasil, especialmente depois do impeachment da Presidenta Dilma, após massivo apoio do PSB, sem ela ter cometido crime algum. “

Marília Arraes, afirmou também que: “a candidatura tomou um corpo grande e assustou muito os nossos adversários, que hoje, estão tentando se manter a todo custo no poder e fazem todo tipo de manobra para tentar evitar que a gente tenha essa candidatura, que é uma candidatura hoje que o Estado todo sabe que ganha a eleição”.

A Vereadora esclareceu ainda, que “não desistiu de sua candidatura e que em conjunto com um grupo de petistas, apresentou recurso contra a decisão da executiva de apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco.”

Dentre os argumentos transcritos no recurso, os petistas afirmam que as negociações com o PSB, resultaram em uma negativa formal e nacional quanto ao seu efetivo apoio, e que portanto, não está dentro do que pode ser considerado dentro dos interesses partidários para vencer as eleições.

Quando questionada sobre o futuro do PT em Pernambuco, em sendo confirmada a aliança com o PSB, Marília foi enfática ao dizer; “eu não trabalho com futurologia, mas de forma alguma eu posso ser incoerente ao o que eu falo e defendo. Então o próprio PT nacional, o PT daqui, todo mundo sabe, o povo sabe, que não tem condições de a gente subir nesse palanque em nenhuma hipótese”.

Por fim, Marília Arraes afirmou: “Até a próxima segunda-feira de manhã muita coisa pode acontecer na política“, deixando a entender, com isso, que não desistirá fácil do que foi decidido pela Executiva Nacional do PT.

Os fatos ocorridos hoje (01/08), nos fizeram remeter a uma indefinição já ocorrente dentro do próprio PT, quando da disputa na eleições de 2012, onde o então Prefeito do Recife João da Costa, teve sua reeleição descartada após racha com o ex-prefeito João Paulo.

Trazendo para os dias atuais, há uma discussão nos bastidores da política pernambucana de que o governo do Estado, está numa ofensiva desleal, e até ditatorial, querendo eliminar previamente um por um dos concorrentes ao governo do estado, demonstrando o receio quanto a não reeleição do Governador Paulo Câmara.

E isso, pode ser corroborado com o que nos informou alguns dos entrevistados pelo Portal de Prefeitura, como o Coronel da Polícia Militar, Luiz Meira, e mais recentemente em entrevista no Papo Café da última segunda-feira (30/07), o Deputado Estadual Silvio Costa filho, que em declarações quase uníssonas afirmaram: “Com o governador Paulo Câmara não existe diálogo, não existe conversa com quaisquer associações. O Governador impõe suas regras e seus entendimentos sem sequer consultar as classes.” 

Agora, o que resta, é aguardar as cenas dos próximos capítulos e ver o que acontece até a madrugada da próxima segunda-feira.

E você, acompanha tudo e segue informado com o Portal de Prefeitura.

Curta nossa página no Facebook clicando aqui.

E no Instagram no @portaldeprefeitura.