Os batimentos cardíacos de uma adolescente de 17 anos, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em São Bernardo do Campo, Grande São Paulo, subiam para 190 por minuto quando o pai dela, acusado de estuprá-la, passava a mão em seu corpo.

Continua após a publicidade:

O caso foi exposto pelo programa Profissão Repórter na última terça-feira, 11 de junho.

O homem foi preso no dia 13 de maio pela Polícia Civil por suspeita de estupro vulnerável.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

“Sempre que o genitor se aproxima da paciente […], os batimentos cardíacos ficam altos, já tendo chegado a 190, sendo que já por cerca de três vezes”, disse uma enfermeira ouvida como testemunha.

Segundo os médicos, a frequência cardíaca normal dentro dos parâmetros de uma pessoa em repouso, é de 50 a 90 batimentos por minutos. Quando passa de 180, já é considerado um risco de problema no coração, e pode ocorrer uma parada cardíaca.

A equipe hospitalar notou a alteração toda vez que o pai chegava perto, e decidiu gravar o momento em que ele passava a mão nos seios da filha por baixo da roupa e nas penas.

Os toques iam além. Segundo testemunhas, ele abria a fralda da jovem e tocava sua vagina, dava beijos no pescoço e peito dela.

Continua após a publicidade:

Segundo a reportagem da Globo, o homem pedia para que a jovem fosse transferida da UTI para o quarto, para ter mais privacidade com ela, e que por diversas vezes fechava a cortina do leito.

Uma enfermeira contou que na troca de fralda, a adolescente ficou muito agitada e tinha fissuras e vermelhidão nas partes íntimas.

Defesa

A defesa do homem alegou inocência e negou veementemente as acusações, e disse que as gravações não confirmam com exatidão o crime.

Sua esposa, mãe da jovem, falou que “ele não fez nada”.

Continua após a publicidade:

Situação da jovem

A garota está internada, no hospital desde 3 de abril, e está acamada com uma traqueostomia. Deu entrada na unidade de saúde após sofrer uma parada cardiorrespiratória ao fumar um cigarro eletrônico. Já possuindo asma, havia esquecido sua “bombinha” e ficou sem respirar.