Continua após a publicidade:

Um indonésio de 26 anos, descobriu duas semanas após se casar, que foi enganado e se casou com um homem adepto ao crossdressing (vestir-se com roupas do sexo oposto para algum tipo de satisfação).

O rapaz, identificado como AK, conheceu em 2023 a “mulher”, Adinda Kanza, 26 anos, no Instagram e logo começaram a namorar, e durou mais de um ano até que se casaram.

Continua após a publicidade:

AK disse que Kanza sempre usava trajes muçulmanos tradicionais que cobriam todo o rosto quando se conheceram, alegando ser uma muçulmana devota.

Em 12 de abril, o marido começou a suspeitar da “esposa”, pois ela evitava ter intimidades com o homem, alegando estar menstruada e não estar a vontade.

AK revelou que após o casamento em uma pequena cerimônia em sua casa em Naringgul, uma região na ilha de Java (Indonésia), Adinda se recusava a falar com os amigos e parentes dele, e disse que não havia família.

Continua após a publicidade:

Decidindo investigar mais, AK rastreou seu suposto endereço de família. Surpreendentemente, ele descobriu que Kanza não era órfã como ela havia afirmado, e seus pais estavam vivos e bem.

Além disso, ele descobriu que Kanza era, na verdade, um homem, identificado como ESH, que faz cross-dressing desde 2020.

Os pais de ESH também revelaram que nunca tinham ouvido falar de AK como seu “genro” e desconheciam o relacionamento.

Mais tarde, ESH disse à polícia que pretendia se casar com AK para roubar os bens de sua família.

Continua após a publicidade:

“Se você olhar as fotos do casamento, Adinda se parece exatamente com uma mulher”, disse um policial.

ESH foi preso, e o casamento foi anulado. Indiciado por fraude, ele pode ser condenado a até quatro anos de prisão.

Continua após a publicidade: