O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo nas redes sociais na segunda-feira, 8 de julho, para “agradecer de coração” ao PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) por tê-lo processado.

Continua após a publicidade:

“É uma prova irrefutável da intolerância dessa gente, que é uma extrema-esquerda, que não suporta a liberdade de expressão e se utilizam da democracia; porque quem apoia Coreia do Norte, China e esses regimes totalitários, de democrata não tem nada”, disse Malafaia.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as principais notícias do site Portal de Prefeitura no seu celular

O processo reivindica a exclusão do vídeo em que o religioso chama o PSOL de Partido das Trevas e do Lixo Moral e criticou o pré-candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos.

Assista ao vídeo:

“Eles (PSOL) entraram no STF e derrubaram uma resolução do Conselho Federal de Medicina que proibia médicos de fazerem abortos em mulheres que sofreram estupro depois de cinco meses e meio. (…) Porque o bebê está pronto pra vida e não é aborto, é pré-parto para a vida ou para a morte. E por um sistema cruel, chamado assistolia, que é proibido de ser usado em animais, eutanásia e pena de morte. E o PSOL conseguiu derrubar”, argumentou Silas.

O pastor reitera ainda que pautas onde a Câmara Municipal votou sobre ideologia de gênero, o PSOL foi a favor e afirma que o partido patrocinou pautas de descriminalização da maconha:

“É o PSOL que sempre apoiou marcha da maconha. São os maiores apoiadores dessa desgraça, que é a porta de entrada para as drogas e desgraça a nossa juventude”.

Para o líder religioso, o processo contra ele é por falta de argumentos e de interesse em “grana”.