O pastor Lucinho Barreto, membro da Igreja Batista da Lagoinha, afirmou durante um culto ter beijado a filha na boca quando ela estava “distraída”. O vídeo viralizou nas redes sociais nessa quinta-feira, 2 de maio, e recebeu uma avalanche de críticas.

O trecho do vídeo foi retirado de um culto ministrado pelo religioso e disponibilizado no último dia 15 de abril no canal de YouTube da igreja. As imagens foram feitas dentro de um templo em Belo Horizonte (MG).

Assista ao vídeo:

Barreto e o filho Davi falavam sobre a passagem de Gênesis 22, em que Deus pede a Abraão que dê seu filho como holocausto. Em um determinado trecho, o pastor fala da criação dos filhos.

“Peguei minha filha um dia e falei que amava ela. Falava: ‘Nossa, que mulherão. Ai se eu te pego’. Ela falava: ‘Credo, pai, você já é da mamãe’. Daí dava beijo nela. “Um dia, ela distraiu e eu dei um beijo na boca dela. Ela disse ‘Que isso, pai?’ Eu falei assim: ‘Porque quando encontrar seu namorado, vou falar: você é o segundo. Eu já beijei’”, exemplificou.

O intuito era mostrar que o papel do pai é de valorização de seus filhos, segundo o pastor.

Depois, Lucinho afirma que a filha “tem uma relação muito forte” com ele. “[Ela] Me ama. Quem me ouve falar uma coisa dessa pensa besteira. Quem tem mente suja pensa coisa suja. Mas quem sabe de pureza, sabe do que estou falando aqui”. Até o momento, ele não se manifestou sobre o caso.

Emily, filha do pastor, usou as redes sociais para defender o pai, afirmando que o trecho foi retirado do contexto, que ele nunca a beijou de língua e que não houve abuso.

Metrópoles