O apóstolo Agenor Duque, líder da Igreja Apostólica Plenitude do Trono de Deus (IAPTD), realizou críticas sobre a decisão da Igreja Metodista em aceitar casamento homoafetivo entre pastores.

A opinião foi emitida através de um artigo publicado no Diário de São Paulo, em que o líder religioso é colunista.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Continua após a publicidade:

Além da decisão do casamento homossexual, a Conferência Geral da Igreja Metodista Unidapor retirou da lista de pecados a serem evitados por líderes e pastores, o adultério, relação sexual antes do casamento e homossexualidade.

Agenor comentou que essas novas diretrizes e as remoções são uma grave afronta aos princípios fundamentais da fé cristã.

“Sob o pretexto da inclusão e da modernidade, a igreja votou a favor de pautas que destroem os fundamentos da fé cristã, abrindo caminho para práticas que afrontam diretamente as Escrituras Sagradas”, diz um trecho do artigo.

O apóstolo destaca ainda a formação da Igreja Metodista Global como uma resposta direta à “apostasia” da Metodista Unida, enfatizando que mais de 1 milhão de membros na Costa do Marfim já decidiram romper com a denominação.

Duque citou uma passagem bíblica acerca de relacionamentos com pessoas do mesmo sexo:

“Levítico 18.22 afirma claramente: “Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher. Isso é abominável”. O mesmo mandamento é repetido em Levítico 20.13. Sobre o adultério, o sexo antes do casamento e a homossexualidade, 1Coríntios 6.9-10 diz: “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus””, escreveu.

Para finalizar, Agenor define medidas da Igreja Metodista como “traição ao evangelho” e “afronta cristã”.

Continua após a publicidade:

“Portanto, a decisão da Conferência Geral da Metodista Unida é uma traição ao Evangelho e uma afronta à fé cristã. Ao aceitar práticas contrárias às Escrituras, a igreja se distancia do caminho da santidade e se lança em direção ao abismo da apostasia. É hora dos verdadeiros seguidores de Cristo se levantarem em defesa dos valores e princípios bíblicos, rejeitando toda forma de compromisso com as trevas e o sistema contrário a Cristo, e proclamando corajosamente os mandamentos de Deus de forma amorosa em um mundo que, como afirmam as Escrituras Sagradas, há muito jaz no maligno, estando perdido e mergulhado no pecado e na iniquidade”, finaliza.

Leia aqui o artigo na íntegra.