O pedreiro Edilson Amorim dos Santos, de 47 anos, foi até a Igreja Universal para pedir perdão após ter estuprado e matado Sophia Ângela Veloso Silva, de 11 anos com 30 facadas.

O caso aconteceu na segunda-feira, 27 de maio, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Edilson teria abordado a menina durante seu trajeto para escola, e depois do crime, colocou o corpo de Ângela em uma caçamba de lixo.

Continua após a publicidade:

Edilson é irmão da ex-madrasta da vítima.

Segundo a namorada de Edilson, no dia do crime o homem chegou com ar de desespero e desorientação. Questionado, disse que havia atirado contra um colega de trabalho e pediu para que a fizesse companhia para ir até a Igreja Universal “se consertar e pedir perdão a Deus”, mas a companheira negou e Edilson foi sozinho.

Edilson bebia álcool todos os dias e tinha momentos de agressividade, ainda de acordo com sua parceira.

O pedreiro confessou o crime aos policiais e responderá por estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver.