Uma carta com acusações foi assinada e enviada para o Colégio dos Consultores. A autoria foi do Monsenhor Guilherme Gomes da Silva, de 89 anos, apontando violência psicológica por parte de Dom José Ruy, que é Bispo Diocesano de Caruaru desde 2019.

A existência da carta foi explanada desde o dia 6 de maio.

Segundo o religioso, o bispo estaria psicologicamente afetado e doente, sugerindo que seria prudente o afastamento do mesmo para tratamento adequado.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Conta ainda na carta que foi transferido de Malhada de Pedra, para morar no Lar Sacerdotal da Diocese, e que sua biblioteca ficou em caixas nas dependências do Seminário Diocesano durante dois anos e meio.

Desde então, pede para que os padres responsáveis encaminhem seus livros, mas ao citar a possibilidade de acionar o Conselho do Idoso sobre o caso, afirma que Dom Ruy falou com “voz arrogante num timbre por demais elevado”, e apontou defeitos do clero.

Relembre

Dom Ruy é criticado pela comunidade católica desde que assumiu a diocese de Caruaru.

Durante as eleições de 2020, por exemplo, o bispo se posicionou politicamente e emitiu uma nota oficial da diocese pedindo voto “contra o comunismo”, o que gerou reações da comunidade de esquerda.

Já em 2023, ordenou aos padres a negarem comunhão a quem apoiar a legalização do aborto.

Posicionamento da Diocese

A Diocese de Caruaru emitiu uma nota para esclarecer sobre seu posicionamento em relação ao caso. Leia:

Confira a íntegra da nota da Diocese:

Caruaru, 7 de maio de 2024 – A Diocese de Caruaru, por meio desta nota, vem a público esclarecer a situação do Lar Sacerdotal e do Monsenhor Guilherme Gomes da Silva, em resposta às recentes especulações na mídia. O objetivo desta nota é apresentar os fatos de forma transparente e autêntica, garantindo a dignidade e o respeito ao Monsenhor Guilherme e a todos os nossos sacerdotes.

O Lar Sacerdotal, uma instituição dedicada ao cuidado e amparo dos padres anciãos da Diocese, é refúgio de conforto e apoio para aqueles que dedicaram suas vidas ao serviço religioso. Inaugurado em 31 de janeiro de 2023, o prédio teve investimento de R$ 1.200.000,00 (Um Milhão e Duzentos Mil Reais). Com instalações adequadas e cuidadores 24h, o Lar visa proporcionar um ambiente digno e propício para o bem-estar dos nossos sacerdotes idosos.  Construído anexo ao Seminário Diocesano Nossa Senhora das Dores, foi pensado para que os sacerdotes tenham contato constante com os jovens seminaristas e tenham uma ampla convivência social. O Lar possui sala de convivência, suítes privativas com salas próprias, cozinha, sala de fisioterapia, sala para pilates, ambiente climatizado e área externa.

Dos Fatos:

Durante a pandemia, final de 2020 e início de 2021, foi trazida ao conhecimento da Diocese a situação do Monsenhor Guilherme Gomes da Silva, 87 anos, residente em Malhada de Pedras. Saúde debilitada, ambiente insalubre, além de viver constantemente amedrontado e pressionado a assumir dívidas alheias (situação conhecida amplamente pela comunidade local, mas sempre negada por ele, para proteger as pessoas implicadas).

Diante das várias comunicações de pessoas que temiam pelo sacerdote, o atual bispo, após averiguação feita por vários sacerdotes, decidiu intervir, e com o consentimento do idoso, trouxe-o para residir no seminário diocesano, antes mesmo que o Lar Sacerdotal fosse concluído. O cuidado com a saúde física, espiritual e mental do referido sacerdote é uma prioridade.

Inicialmente, e isso se deve à situação de sua saúde física e mental fragilizadas, o idoso sempre foi agradecido e contente com o novo modo de viver. Porém, à medida que se fortalecia e voltava a ter alegria e força, começou a demonstrar algumas insatisfações e alterações de comportamento; percorrendo suas memórias, compreendemos que a falta do exercício pastoral paroquial tem gerado alguns desconfortos a ele, o agravamento das oscilações de humor deve-se, também, à impossibilidade de voltar a enxergar, pois o referido sacerdote é cego.

Em relação às recentes alegações veiculadas na imprensa, a Diocese esclarece que houve um mal-entendido quanto à situação dos livros pertencentes ao Monsenhor Guilherme. Devido ao estado insalubre de manuseio desses livros, que estão deteriorados e impróprios para uso humano, foi necessário armazená-los em um ambiente apropriado, visando preservar a saúde do próprio Monsenhor. Há livros totalmente apodrecidos, mas optou-se pela conservação de todos, já que a biblioteca começou a ser mencionada constantemente pelo idoso.

Quanto às questões disciplinares mencionadas, o Bispo, em sua autoridade e dever pastoral, agiu no melhor interesse da preservação do estado psicológico do Monsenhor Guilherme, buscando orientá-lo e corrigi-lo da maneira mais compassiva possível, como um pai que corrige seu filho com amor e preocupação pelo seu bem-estar. Antes da intervenção do Bispo, o reitor do seminário, o representante do clero, a direção do Lar Sacerdotal e outros sacerdotes, reiteradamente, negaram ao sacerdote idoso a possibilidade de tais livros serem levados para o seu quarto, porém todos estão preservados em uma sala.

Esclarecemos, também, que diante da repercussão na mídia, a diocese de Caruaru enviou um representante ao Conselho Municipal da Pessoa Idosa para apresentar o caso e solicitar do destinto órgão visita e averiguação dos fatos, a fim de que, em nome da verdade, tudo seja esclarecido.  A visita já aconteceu hoje, dia 07 de maio, às 14h.

Por fim, o Monsenhor Guilherme, em reunião com o Vigário Geral, lamentou profundamente que a carta interna –  carta, aliás, redigida por outra pessoa que imprimiu o seu próprio caráter, mas do que as palavras e intenção do idoso –  destinada ao colégio de consultores tenha sido indevidamente divulgada pela imprensa, causando mal-entendidos e desconforto ao nosso estimado sacerdote e ao Bispo Diocesano.

Reiteramos nosso compromisso em garantir a privacidade e o respeito aos nossos membros do clero, e tomaremos as medidas necessárias para evitar que situações semelhantes ocorram no futuro.

A Diocese de Caruaru está comprometida com o bem-estar e a dignidade de todos. Continuará a oferecer todo o apoio necessário ao Monsenhor Guilherme e a todos os sacerdotes idosos que serviram fielmente à nossa comunidade.

Assessoria de Comunicação da Diocese de Caruaru.