Denúncia

Vídeo: ossos expostos em cemitério de Olinda revolta cidadãos

Reclamações são de que restos mortais estão amontoados em espaços improvisados, e aparentemente sem manutenção regular.

Vídeo revela ossos expostos em cemitério de Olinda revolta cidadãos.
Vídeo revela ossos expostos em cemitério de Olinda revolta cidadãos. Imagem: Divulgação/Cortesia

Novas imagens de ossos expostos no cemitério de Guadalupe, em Olinda, passaram a viralizar nas redes sociais, nos últimos dias, em meio a denúncia sobre a forma como o ambiente está sendo tratado pela poder público (assista vídeo abaixo).

De acordo com moradores, as imagens são de 31 de março e revela o ambiente em que acumula os restos mortais ao céu aberto e a mercê de sol e chuva. A denúncia cita que os ossos estão amontoados em espaços improvisados, e aparentemente sem manutenção regular.

Não é a primeira vez que os cemitérios públicos municipais de Olinda, localizados em Guadalupe e Águas Cumpridas, tiveram sua situação revelada. Em matéria publicada neste no dia 5 abril de 2023, a gestão municipal reconheceu a precariedade do ossuário público, e informou que a situação já estava sendo analisada para ofertar a maneira mais viável de armazenar os restos mortais, além de associar o problema a pandemia de Covid-19.

Desta vez, um ano depois, a Secretaria de Gestão Urbana de Olinda informou que deu início a um processo administrativo para investigar detalhadamente, o que define como violação do ossuário, para divulgação de um vídeo no qual classifica de criminoso, no Cemitério de Guadalupe, e sem confirmação de quando aconteceu.

Veja a nota completa da Prefeitura de Olinda:

A Secretaria de Gestão Urbana de Olinda informa que deu início a um processo administrativo para investigar detalhadamente a violação do ossuário, para divulgação de um vídeo criminoso, no Cemitério de Guadalupe, porém sem data confirmada.

Destacamos que o acesso ao ossuário é restrito aos funcionários do cemitério, e qualquer manipulação dos restos mortais, bem como sua filmagem e divulgação, constitui crime. Com isso, assim que o caso foi registrado, há aproximadamente 15 dias, o espaço foi reorganizado.

Portanto, uma vez que a investigação interna seja concluída, o caso será encaminhado à Procuradoria Geral do Município para posterior apresentação à Polícia Civil de Pernambuco, a fim de que sejam adotadas as medidas legais cabíveis.

Ressaltamos que o ossuário recebe os restos mortais resultantes da exumação dos corpos sepultados, onde familiares não procuraram a administração do cemitério para realocar para outro espaço. O processo ocorre no prazo de dois anos (24 meses), em caso de o corpo não estar decomposto, ele é novamente sepultado.

Na imagem divulgada de forma criminosa, porém, é possível identificar um corpo em estado de mumificação (que pode ocorrer por diversos motivos), sendo este autorizado, de forma legal, a ser retirado e exumado, ainda que não esteja no estado esquelético.

Assista a reportagem com vídeo: