A Prefeitura de Igarassu está intensificando a luta contra as arboviroses em uma série de ações educativas e mobilização social.

Nesta quinta-feira, 29 de fevereiro, das 08h às 16h, todas as unidades de Saúde do município aderem à campanha e segue em curso mobilizando as equipes para a realização de orientações à população através de palestras, panfletagem e visita às casas e comércios.

A campanha acontece desde terça-feira (27) e visa conscientizar a população na prevenção e no combate às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, como dengue, chikungunya e zika.

A Prefeitura de Igarassu segue comprometida com a saúde pública e bem-estar dos cidadãos e aposta na prevenção, reforçando a importância da participação da população na luta contra as arboviroses para amenizar o surto de casos de dengue.

Brasil

Desde o início do ano, o Brasil registrou 1.017.278 casos prováveis de dengue e 214 mortes confirmadas pela doença. Outros 687 óbitos estão em investigação. 

O coeficiente de incidência da dengue no país, neste momento, é de 501 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados são do Painel de Monitoramento das Arboviroses, divulgados nesta quinta-feira (29), em Brasília, pelo do Ministério da Saúde.

Entre os casos prováveis, 55,4% são de mulheres e 44,6% de homens. A faixa etária dos 30 aos 39 anos segue respondendo pelo maior número de ocorrências de dengue no país, seguida pelo grupo de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos.

Minas Gerais lidera em número absoluto de casos prováveis (352.036) entre os estados. Quando se considera o coeficiente de incidência, o Distrito Federal aparece em primeiro lugar: 3.612,7 casos por 100 mil habitantes. 

O DF é uma das unidades federativas que decretaram situação de emergência em saúde pública por causa da explosão de casos de dengue. Segundo o governador Ibaneis Rocha, as redes de saúde da capital, tanto a pública quanto a privada, entraram em colapso no atendimento.

Um dos pacientes que tiveram dificuldade ao buscar assistência médica é Januário da Cruz Silva, de 61 anos. Ele trabalha com um caminhão de mudanças, mas há quase uma semana teve de parar com os serviços por conta da dengue. Silva recorreu à Unidade Básica de Saúde (UBS) 1, do Paranoá, região administrativa no DF, depois de procurar, sem sucesso, atendimento médico em um hospital.