O Governo de Pernambuco decidiu entrar com uma solicitação de mandado de segurança, após a Polícia Civil decretar greve para o período do carnaval, nesta quarta-feira, 7 de fevereiro.

Continua após a publicidade:

Um integrante da Casa Civil afirmou ao Blog do Elielson que está programada uma convocação para uma mesa geral no final de fevereiro, contradizendo as declarações feitas pelo sindicato.

Segundo Áureo Cisneiros, presidente do Sindicato dos Policiais Civis, há uma falta de diálogo por parte do governo com a classe.

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) realizou um ato em frente ao Palácio do Campo das Princesas na terça-feira, 6 de fevereiro, e não chegou a acordo com o Governo do Estado.

Após a realização de ato em frente ao Palácio do Campos das Princesas na terça-feira (6), a entidade sindical decidiu a paralisação da categoria a partir da meia-noite desta sexta-feira (9).

Além do Sinpol, outras entidades da Polícia Civil – como peritos criminais, médicos legistas e delegados – estiveram juntos no ato e foram recebidos por técnicos da Secretaria de Administração de Pernambuco.

Os servidores informaram que receberam apenas a promessa da divulgação do cronograma de negociação a partir do dia 28 de fevereiro e início em março.

Continua após a publicidade:

Entre as reivindicações da categoria, estão melhorias nas condições de trabalho, aumento salarial e do contingente.

De acordo com o Sinpol, Pernambuco deveria ter 11 mil policiais. Entretanto, a categoria conta com um efetivo de 5 mil servidores.

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe), Diogo Victor, explicou o motivo da união.