O governo da Holanda autorizou Zoraya ter Beek, uma jovem de 29 anos, a realizar o processo de eutanásia.

A prática consiste no ato de provocar morte de uma pessoa com o objetivo de aliviar seu sofrimento em casos de doença terminal ou condição irreversível.

Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Continua após a publicidade:

O caso de Zoraya chama atenção pelo fato da mulher não estar em nenhum dos processos acima, mas sim, com depressão crônica, ansiedade, trauma, transtorno de personalidade não especificado e Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Os impactos da saúde mental da holandesa começaram ainda na primeira infância e se estenderam até os dias de hoje. Ela contou que tentou vários tratamentos por 10 anos, porém, continuou se sentindo uma “suicida”.

Zoraya contou, em entrevista The Free Press, que optou pela morte assistida depois que seu psiquiatra afirmou que não tinha mais tratamentos para recomendar e que não podia mais ajudá-la.

Citando as palavras do médico, “Isso nunca vai melhorar”, ela compartilhou sua experiência com a rede.

Pouco mais de um mês depois, ao falar com o jornal britânico The Guardian, a mulher recordou que, no início do tratamento, mantinha expectativas de recuperação.

Continua após a publicidade:

Porém, pouco após o término das sessões de ECT, em agosto de 2020, ela tomou a decisão da eutanásia.

Ter Beek relatou ter passado um período aceitando que não havia mais tratamento antes de, em dezembro do mesmo ano, solicitar a morte assistida ao governo.

“Eu sabia que não conseguiria lidar com a maneira como vivo agora”, disse ao jornal britânico, mencionando ter considerado suicídio, porém, rejeitou essa ideia após a trágica morte de uma colega de escola e o impacto devastador que teve em sua família.

SUICIDIO LEGALIZADO

Vários países legalizaram a eutanásia ativa e o suicídio assistido, incluindo a Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Espanha, Portugal, Equador, Cuba e Colômbia.

Na Áustria e Suíça, onde a eutanásia é proibida, o suicídio assistido é permitido.

Continua após a publicidade:

A legislação holandesa, em vigor desde 2002, permite a eutanásia para pessoas que enfrentam um sofrimento insuportável, sem perspectiva de melhora, desde que façam o pedido com seriedade e plena convicção, com avaliação médica e de um especialista independente.