O meia Giuliano, do Santos, veio a público para pedir a paralisação de jogos de futebol no Brasil em meio à tragédia climática no Rio Grande do Sul.

Giuliano não é o único a defender a paralisação dos jogos. Na noite de segunda-feira, Grêmio, Internacional e Juventude enviaram à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) um pedido de adiamento das partidas de futebol pelos próximos 20 dias por causa das enchentes. O estádio Beira-Rio e a Arena do Grêmio, por exemplo, ainda estão alagados.

De acordo com a Defesa Civil, o desastre climático do Rio Grande do Sul já deixou 85 mortos e mais de 130 desaparecidos. Além disso, milhares de pessoas estão desabrigadas.

Muitos atletas se mobilizaram para ajudar no resgate de pessoas ilhadas, como o goleiro do Grêmio, Caíque. Houve ainda casos de esportistas que ajudaram a distribuir alimentos, como o goleiro do Inter, Sergio Rochet.

Para Giuliano, essa corrente de solidariedade é muito importante “Somos influência e exemplos. A partir do momento em que nos juntamos, nós temos força, o País nos olha. A gente tem capacidade de, por meio da nossa imagem, mandar uma mensagem positiva. Juntar cestas básicas, dinheiro, doações. É um momento que precisamos. A gente fica se colocando no lugar dessas pessoas. Imagina a dor, quando a água baixar, como é que vai ser? Nesse processo, precisamos de todos”, disse o meia santista.

Estadão Conteúdo.