Continua após a publicidade:

A Uefa está investigando o zagueiro turco Merih Demiral por um “suposto comportamento inadequado” ao comemorar um dos dois gols que marcou na vitória sobre a Áustria por 2 a 1, na terça-feira, pelas oitavas de final da Eurocopa. Ele teria feito um gesto considerado extremista.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Esportes no seu celular

Continua após a publicidade:

O gesto foi feito na celebração do segundo gol. Ele fez um sinal com as duas mãos em referência ao grupo nacionalista turco ligado à organização Ulku Ocaklari, mais conhecido como Lobos Cinzentos. O grupo é considerado de ultradireita e até mesmo terrorista por alguns países.

Há autoridades turcas que apontam o grupo a responsabilidade de centenas de assassinatos na década de 70. Após o jogo, Demiral afirmou que fez uma expressão inocente sobre seu orgulho nacional e que não houve “nenhuma mensagem escondida ou algo do tipo”.

Continua após a publicidade:

O gesto trouxe desconforto entre políticos de outros países. Na Alemanha, país-sede da Eurocopa, o ministro do interior, Nancy Faeser, cobrou uma punição ao jogador turco pelo gesto.

O porta-voz do partido do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, Omer Celik, disse, em resposta, que os comentários de Faeser e a investigação da Uefa são “inaceitáveis”. “Seria mais apropriado para aqueles que procuram o racismo e o fascismo concentrarem-se nos resultados eleitorais recentes em diferentes países europeus”, escreveu Celik também no X.

Estadão Conteúdo.

Continua após a publicidade: