O atacante Gabigol, foi denunciado com base no artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem, que tem como pena máxima uma suspensão de quatro anos. O episódio que fundamentou o processo, ocorreu no dia 8 de abril de 2023, antes de um jogo contra o Fluminense, pela final do Campeonato Carioca.

Mesmo que a punição máxima prevista pelo Código Brasileiro Antidopagem seja de quatro anos, o jogador do Flamengo ficará suspenso dos gramados pelos próximos dois anos.

Como de costume, a ideia era fazer os exames de doping antes dos treinos, porém, Gabigol não foi até os Oficiais e ignorou a presença deles depois dos treinos. Segundo o relato, o jogador teria tratado a equipe com desrespeito, além de que o atleta teria pego o pote para coletar a amostra de urina sem avisar ao oficial de controle.

É importante ressaltar que é necessário que o atleta testado faça contato visual com o oficial de controle durante a coleta, para que não ocorra qualquer tipo de interferência ou troca de amostras.

Os advogados do Flamengo, atual clube do jogador, afirmou que, caso a entrega da amostra de urina estivesse fora das normas técnicas, era função dos oficiais recusarem a entrega e exigissem uma nova amostra.