Declaração

Leila Pereira sobre presidente do Botafogo: 'Textor está desequilibrado'

Para a dirigente, a postura do americano é "ridícula", tendo o fato que o Botafogo liderou o campeonato por muito tempo e perdeu o posto de líder.

Leila Pereira sobre presidente do Botafogo: 'Textor está desequilibrado'
Presidente do Palmeiras, Leila Pereira. Foto: Reprodução/Tv Globo.

Presidente do campeão brasileiro Palmeiras, Leila Pereira considera o ofício enviado pelo Botafogo ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), horas antes da última rodada do Brasileirão, um ato de desequilíbrio de John Textor, acionista majoritário da SAF botafoguense.

Para a dirigente, a postura do americano é “ridícula” frente ao fato de o clube carioca ter liderado o campeonato por tanto tempo e por uma diferença tão grande de pontos antes de perder a liderança.

“Me causa estranheza, sabe? Porque eu acho que o proprietário do Botafogo deve estar meio desequilibrado, porque realmente foi difícil o Botafogo liderando o campeonato por tanto tempo e dar todo esse problema, essa turbulência, perder este campeonato. Eu acho que o Textor ficou meio desequilibrado, chega até a ser ridículo”, afirmou Leila em entrevista à SporTV após o empate por 1 a 1 do time palmeirense com o Cruzeiro, resultado que confirmou o título.

A presidente alviverde também disse entender que colocar a legitimidade da conquista do Palmeiras em cheque desvaloriza o Brasileirão como um todo.

“Colocando em dúvida o campeonato, ele desprestigia, ele desvaloriza este produto tão importante que é o futebol, que são os clubes. Desvaloriza todos os clubes. Eu acho que ele deveria ter mais serenidade. O Palmeiras mesmo… Nós não perdemos a Libertadores? Continuamos trabalhando, acreditando no trabalho, porque no futebol acontece. Você tem que estar preparado para ganhar e para perder. É uma parte de desequilíbrio do senhor John Textor.”

O Botafogo informou nesta quarta-feira, antes de a bola rolar para a rodada decisiva do Campeonato Brasileiro, que enviou ao STJD um ofício cobrando providências do órgão acerca de relatórios produzidos a pedido do clube por uma empresa que analisa comportamentos da arbitragem e que apontariam supostos prejuízos em resultados de partidas desta edição do torneio nacional.

John Textor contratou a empresa “Good Game!” para avaliar a postura dos árbitros nos jogos do Brasileirão e detectar possíveis manipulações de resultado.

Foi produzido, então, um relatório que apontaria o Botafogo como líder do campeonato caso a arbitragem tivesse tomado decisões a favor do clube em determinados jogos.

Na nota emitida nesta quarta-feira, o Botafogo ainda explorou cinco sugestões para serem adotadas para melhorar a qualidade da arbitragem no Campeonato Brasileiro.

Se esgotadas as esferas desportivas no futuro, o Botafogo afirma que continuará sua batalha na Justiça Comum para “apurar os fatos narrados e contribuir para a evolução do futebol brasileiro”.

Estadão Conteúdo