O anúncio da inclusão de 25 navios petroleiros e 26 plataformas obsoletas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3), que serão reaproveitados para outros fins (descomissionamento), está gerando entusiasmo na indústria naval em Pernambuco.

O Estaleiro Atlântico Sul Heavy Industry Solutions, pioneiro no país na retomada do setor nos anos 2000, afirma estar preparado para esse novo momento, especialmente para atender às demandas da Petrobras e Transpetro.

“a perspectiva de retomada da indústria naval será uma grande oportunidade para alavancar os negócios do Atlântico Sul Heavy Industry Solutions”. disse o novo CEO da companhia, Roberto Brisolla,

Leia também:

SUAPE: PETROBRAS irá retomar OBRAS NA REFINARIA com anúncio do NOVO PAC

“Nesse novo contexto, poderemos abraçar projetos maiores e novos desafios, focados sobretudo no setor de óleo e gás. Temos ativos, pessoal treinado e processos num nível elevado de preparação”, disse executivo.

Desde o ano passado, o Atlântico Sul Heavy Industry Solutions tem estado em um processo de reposicionamento, aumentando sua ênfase nos serviços de reparo de navios e expandindo suas operações para outros setores, como a construção de grandes estruturas metálicas em terra e no mar. Além disso, a empresa está continuando seus esforços para explorar o mercado de torres de energia eólica.

Indústria naval: reparos de navios foi estratégico para soerguimento do Atlântico Sul

O Atlântico Sul precisou passar por uma transformação nos últimos anos. Devido à paralisação da fabricação de navios nos estaleiros brasileiros na segunda metade da década de 2010, causada pela crise da Petrobras no contexto da Operação Lava-Jato, o setor de reparos navais emergiu como uma alternativa para reativar as operações da planta.

Da redação do Portal com Informações do site da Folha de Pernambuco