Aumento de impostos e casos de corrupção, são motivos para ato contra atual Governo do Estado, no próximo dia 9 de dezembro.

O procurador do Recife, Charbel Maroun, anunciou que fará uma manifestação contra Paulo Câmara (PSB), no próximo dia 9 de dezembro, na Av Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

Charbel, que foi candidato a Deputado Federal pelo partido Novo na última eleição, argumenta que o ato é contra um pacote com várias mudanças nos impostos do estado, aprovados pela Assembleia Legislativa, incluindo a nota fiscal solidária, programa para restituir beneficiários do Bolsa Família em Pernambuco, intitulado de 13º salário, uma promessa de campanha do reeleito Governador Paulo Câmara (PSB).

Segundo organizadores, o movimento é também contra a extinção da Decasp, Delegacia de Crimes Contra Administração e Serviços Públicos de Pernambuco, no último dia 7 de novembro.

A manifestação terá concentração em frente a Padaria Boa Viagem, a partir das 10h.

Aumento de imposto

Para compensar os custos do projeto de lei da Nota Fiscal Solidária, os deputados aprovaram adicionar itens ao Fundo Estadual de Erradicação da Pobreza (Fecep), com uma cobrança de mais 2% de ICMS ( IMPOSTO SOBRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS e SERVIÇOS).

Com a proposta aprovada, passam a fazer parte do Fecep, com um recolhimento adicional de 2% de ICMS: refrigerantes, água mineral em embalagem não retornável, isotônicos, produtos descartáveis (canudos, copos e plásticos), automóveis (exceto de 1.000 cilindradas até R$ 50 mil), motos acima de 250 cilindradas, etanol hidratado, joias, bijuterias e explosivos.

Além do ICMS, foi prorrogado por mais três anos, a lei de reajuste do IPVA, O Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores, sancionada em 2015.