Foto: Divulgação internet

Tudo começou com um projeto de lei elaborado pelo Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, para acabar com a Delegacia de Crimes Contra Administração Pública de Pernambuco (Decasp). O projeto foi enviado a Alepe, em caráter de urgência, para criação de um novo departamento da polícia civil, chamado Draco ( Departamento de Repressão ao Crime Organizado).

No início de tudo isso, o assunto já tinha se tornado um assunto nacional, como indicado por esse site, principalmente de forma negativa para imagem do governador reeleito Paulo Câmara (PSB).

Ontem (22/11) a edição online do Folha de São Paulo, revelou que a Polícia Federal não assumirá as investigações sobre contratos e obras da Arena Pernambuco. Segundo a matéria, o inquérito criminal deve ficar com a própria Polícia Civil do estado.

Do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o processo que investiga o Governador Paulo Câmara (PSB), o Prefeito do Recife Geraldo Júlio (PSB), o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o deputado federal, tadeu alencar (PSB), deve seguir para a Vara Estadual Crimes Contra Administração Pública do Recife.

Mesmo a base do governo indicando a iniciativa de Paulo para acabar com a Decasp, uma ação benquista, é difícil acreditar em boas intenções, principalmente quando se fala em extinguir uma delegacia que iria investigar o próprio Paulo e seus aliados.