O deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, lamenta a burocracia criada pelo governo do estado para que os beneficiários do Bolsa Família tenham direito a receber uma parcela a mais do Bolsa Família. O parlamentar comparou o programa lançado na última quarta-feira (4) pelo governador Paulo Câmara, com a proposta do décimo terceiro do Bolsa Família que será oferecido pelo governo Bolsonaro.

“Sou totalmente a favor do Bolsa Família, um programa do governo federal que ajuda várias famílias do nosso estado, mas lamento profundamente a burocracia do governo Paulo Câmara para que essas pessoas tenham acesso a uma parcela extra do programa”, argumentou o deputado.

Para ter direito ao benefício extra, o beneficiário do Bolsa Família precisa consumir no mínimo três mil reais no ano. Para ganhar uma parcela a mais no valor integral de R$ 150, é preciso solicitar a inclusão do CPF na nota fiscal de compras de itens alimentícios, vestuário e material de limpeza. O cálculo prevê que o valor do benefício corresponderá a 5% do montante gasto pela família em itens como arroz, feijão, açúcar, carne, ovos, xampu e botijão de gás.

O deputado também criticou o aumento da alíquota do ICMS de 2,5% para 6,5%, que faz com que a carne bovina e suína aumentem. O valor do quilo sobe cerca de 140% a mais na carne de boi.

Para o líder da oposição na Alepe, “diferente do governo Bolsonaro, que usará recursos do combate à corrupção e dos cortes que o governo fez para custear o 13º do Bolsa Família, Paulo Câmara criou um sistema burocrático que dificulta o acesso do cidadão a essa décima terceira parcela, além do aumento dos impostos, como por exemplo deram quase 140% na carne, dificultando inclusive o acesso da população mais pobre a esse artigo que passou a ser de luxo”, declarou ele sobre o novo programa do governo Paulo Câmara.

Segundo Marco Aurélio, uma blitz especial será organizada para o mês de dezembro. O objetivo é acompanhar o andamento do programa 13° do Bolsa Família do governo do estado.