Ameaça

Criminosos lançam VÍRUS NA WEB que troca chave PIX e ROUBA DINHEIRO DA CONTA; saiba como se proteger

A notícia sobre a identificação de uma nova ameaça digital que possibilita que indivíduos maliciosos roubem fundos do sistema Pix de um dispositivo móvel de forma inadvertida tem atraído a atenção online. Esse vírus foi detectado pela empresa de segurança de software Kaspersky e opera através de um aplicativo disfarçado. Uma vez instalado no dispositivo móvel, ele é capaz de alterar a chave Pix durante uma transação bancária.

A maneira como essa ameaça opera é a seguinte: o vírus está oculto em um aplicativo que não foi baixado da loja oficial do Google. A vítima é atraída para um site que promete ganhos financeiros caso ela faça o download de um aplicativo de extensão .APK (formato de arquivo de aplicativos Android) e o abra. Após a instalação, o aplicativo em questão exibe uma notificação e solicita que uma atualização falsa seja realizada para um leitor de PDF ou Flash Player, exigindo a concessão de permissão de acessibilidade. Em seguida, o usuário é direcionado às configurações do dispositivo Android e concede a permissão de acessibilidade, o que abre uma porta para acesso remoto pelos criminosos.

VEJA MAIS:

>> PIX: Polícias e Ministério Público poderão CONSULTAR DADOS de usuários sob INVESTIGAÇÃO; SAIBA A PARTIR DE QUANDO

Depois de obter acesso ao dispositivo, a ameaça consegue modificar a chave Pix durante uma transação bancária, transferindo os fundos para a conta do criminoso. Além disso, ela pode também modificar o valor da transação com base no saldo disponível na conta da vítima. A única diferença notável no processo é uma pequena tremulação na tela.

O novo vírus, conhecido como Brats, não exige a presença física do cibercriminoso diante de um computador para realizar a transferência bancária, pois a própria ameaça assume essa tarefa ao roubar informações das pessoas. Para prevenir a contaminação do dispositivo móvel por esse vírus, é importante seguir algumas recomendações. Eis algumas delas:

  • Evite instalar aplicativos que não sejam provenientes da loja oficial do Android, uma vez que a Kaspersky afirma que a maioria das ameaças é distribuída dessa forma.
  • Caso seja solicitada a concessão de permissão de acessibilidade ao instalar algum aplicativo, recuse.
  • Mantenha um software antivírus instalado em seu smartphone, uma vez que a crescente utilização de dispositivos móveis para transações bancárias tem levado o cibercrime a migrar do ambiente de computadores para os dispositivos móveis.