Os advogados de defesa do ex-presidente Lula, preso em Curitiba, entraram com um um pedido na Justiça para que o novo acordo celebrado entre a Petrobras e Ministério Público Federal seja juntado ao caso do sítio de Atibaia.

Segundo o argumento da defesa, esse novo elemento tem ligação direta com a ação que Lula responde na justiça.

Para o advogado Cristiano Zanin, do escritório Teixeira Martins Advogados, e que fez a defesa de Lula, o acordo celebrado, e todos os seus elementos têm direta vinculação com posição jurídica assumida pela Petrobras a ação penal e também com o mérito da acusação.

O acordo celebrado ainda nesta semana entre o MPF e a Petrobras, é o que fez com que a Empresa deixe de pagar uma multa bilionária para autoridades norte-americanas e repasse esse dinheiro para uma fundação que será montada sob a supervisão do MPF. Ao todo o fundo terá direito a R$ 2,5 bilhões.

Cabe lembrar que na ação contra Lula, a Petrobras teve acolhido o pedido de ser assistente de acusação. Para tanto, a companhia alega ser vítima e ter sido lesada por Lula, enquanto isso, o MPF, pede que Lula seja obrigado a pagar uma multa de R$ 75 milhões para a companhia.

Veja a Defesa completa. apresentada a justiça.

Com informações do site Conjur.