De acordo com a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA (USCIRF), “a liberdade religiosa está sendo atacada de maneira sistemática, contínua e flagrante”.

O relatório da comissão foi divulgado na segunda-feira, 1 de maio, sinalizando as violações em várias nações. Conforme a CBN News, funcionários da agência governamental bipartidária esperam que os EUA tomem medidas contra os países da lista deste ano para melhorar as condições de liberdade religiosa em todo o mundo.

A capa do relatório deste ano apresenta o rosto da falecida Mahsa Amini, uma jovem iraniana que foi morta no ano passado após ser espancada por policiais, simplesmente por não usar o véu islâmico de maneira adequada.

Continua após a publicidade:

Leia também: 
>>> LIBERDADE RELIGIOSA: Presidente Lula assina lei que torna crime atacar ou tentar fechar igrejas

Este é apenas um dos muitos exemplos em que a liberdade religiosa está sob ataque em todo o mundo. “Essas violações não passam despercebidas”, declarou o senador norte-americano Marco Rubio numa mensagem de vídeo.

‘Uma liberdade que transcende fronteiras’

O relatório anual do USCIRF rastreia os incidentes para responsabilizar os infratores: “Não se engane, a liberdade de culto é um direito humano fundamental”, declarou a deputada americana Nancy Pelosi.

“Na verdade, é uma liberdade que transcende fronteiras e, quando está ameaçada, os EUA têm o dever sagrado de se pronunciar”, ela continuou.

As recomendações deste ano incluem a manutenção de 12 países de preocupação especial (CPCs, na sigla em inglês) na lista. Eles incluem infratores reincidentes, como Birmânia, China, Cuba, Irã, Coréia do Norte, Rússia e Arábia Saudita. Cinco novos países também foram notificados: Afeganistão, Índia, Nigéria, Síria e Vietnã.

Continua após a publicidade:

‘A liberdade está sendo negada por muitos governos’

“As violações estão aumentando”, disse o rabino Abraham Cooper, vice-presidente da USCIRF à CBN News. “As ameaças, detenções e coisas piores estão aumentando em todo o mundo”, observou.

O rabino destaca ainda que “para qualquer sistema que exija uma fidelidade total aos ditadores e aos regimes que existem, Deus é o inimigo número um e uma crença religiosa é o inimigo número um”.

Funcionários da USCIRF afirmam que a Coreia do Norte é provavelmente o país onde os cristãos enfrentam a perseguição mais severa em todo o mundo.

“A religião está sob ataque e a liberdade religiosa é algo que está sendo negado por muitos governos”, ele concluiu.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações do Site Guiame.