Coluna

ARTIGO: O equilíbrio emocional pode ser construído - Por Edinázio Vieira

"O autoconhecimento permitirá gerenciar os exageros dos desejos, observar impulsos e frear os transtornos adquiridos durante a vida", diz colunista.

Coluna de Edinázio Vieira. Foto: Portal de Prefeitura
Coluna de Edinázio Vieira. Foto: Portal de Prefeitura

Edinázio Vieira – A chamada saúde mental, denominada por mim como equilíbrio psíquico e mental, inicia-se antes da ovulação (processo da recepção do espermatozoide pelo óvulo), tem origem no ato sexual onde irá ocorrer a produção dos elementos para a fecundação. Nesse estágio, são contidos vários ingredientes subjetivos: desejo, paixão, amor, raiva, culpa, ódio, além da permissão ou não dos parceiros para o ato. Esses componentes contribuirão na formação psíquica do novo ser. A nossa teoria é que no momento da fecundação não será exibida imagem imediata do embrião, mas percebe-se que há vida.

A psique é o primeiro elemento a ser formado, seguido pela mente que é constituída pela linguagem, sem linguagem não há mente. Esses fatores contribuem ou formam terrenos para receber sementes boas ou ruins. A formação da semente é o ritual do ato sexual, o estupro, a gravidez indesejada ou o ato forçado contribuirão para a fecundação das sementes daninhas ou boas, no caso da semente daninha implicará no comprometendo da formação psíquica e emocional.

A construção do equilíbrio emocional não depende de nós na sua construção inicial, contudo, o autoconhecimento permitirá gerenciar os exageros dos desejos, observar impulsos e frear os transtornos adquiridos durante a vida.

As pessoas se exibem no espelho, entretanto, são enganadas pela própria visão. Jackson Lacan, com a teoria do espelho bem definida por Juan-David Nasio, esse fala do retalho na qual o sujeito se forma, mas se cada pessoa pudesse ter uma imagem do seu próprio interior entraria em desespero, pois perceberia grandes contradições.

A construção emocional ocorre na forma biológica, na fecundação. Na fase embrionária acontece o maior número de mitoses e na formação das placas neurais ocorrem as influências que despejam as sementes emocionais.
Pessoas com o autoconhecimento, que passaram por uma análise psicanalítica tem uma visão interior bastante profunda, essas podem usar todo o conhecimento como instrumento de manejo e anteparo para as pulsões.

Na antiguidade, homens como Alexandre da Macedônia foi instruído por Aristóteles (filósofo da Grécia Antiga), Paulo de Tarso (apóstolo de Cristo, um dos maiores propagadores do cristianismo) e por Gamaliel (líder dentre as autoridades do Sinédrio, reconhecido mestre e Doutor da Lei), Jesus cuidou das emoções de Pedro, mas esses exemplos não são seguidos, pois vivemos numa era mercantilista, então, apenas entregam balaios e pacotes de conhecimentos que são mal transportados, chegando à mesa as migalhas que são vendidas a peso de ouro.

O século XXI chegou com a magia da indústria farmacêutica, essa consegue crescer mais que as indústrias de bebidas. Antes os descontrolados bebiam para aplacar a raiva, a ira e a desilusão, hoje, esses andam com um envelope de rivotril no bolso e exibem um falso controle, se desequilibrando no primeiro embate social. Qualquer transtorno é logo prescrito um fármaco, a população desconhece que pode buscar o autocontrole e se construir emocionalmente para as agruras da vida.

Edinázio Vieira