A população que mora nas proximidades do Canal do Fragoso, em Olinda, ficam assustados sempre que uma forte chuva começa a cair com a desta quinta-feira, 4 de abril.

Imagens enviadas ao site Portal de Prefeitura, revelam que o nível do acúmulo de água sugere preocupação e atenção redobrada dos moradores.

O dia começou com chuva na Região Metropolitana do Recife. Segundo dados meteorológicos, a precipitação teve início por volta das 6h e segue atingindo várias áreas do Grande Recife.

Previsão do Tempo

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu alerta de atenção por volta das 11h desta quinta-feira para a Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata, Agreste e Sertão pernambucano.

O informativo vale para todo o dia de hoje e possui nível laranja, que prevê condição significativa de fenômenos meteorológicos com risco moderado a alto e com potencial severo.

Onde mais choveu nas últimas horas

Até as 9h desta quinta, o local que mais registrou chuva na Região Metropolitana, segundo monitoramento da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), foi a estação localizada no Pina, na Zona Sul do Recife, que coletou 56 milímetros de água nas últimas 3h.

Depois, veio Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, com 51,2 milímetros. Em terceiro, estava a Vila Torres Galvão, em Paulista, com 44 milímetros.

Nova fase de obras no Canal do Fragoso

Mais uma etapa das obras do Canal do Fragoso foi retomada no dia 25 de março. O desenvolvimento da obra é realizada pela atual administração da Companhia de Habitação e Obras de Pernambuco (Cehab).

Nesta fase, será efetuada a pavimentação de vias marginais até a Avenida Sérgio G. Vasconcelos, com saldo contratual de R$ 23.108.840,61. 

Histórico

A primeira etapa da obra do Canal do Fragoso foi iniciada em março de 2013, em Olinda. Esse trecho foi concluído em fevereiro de 2020 e executou 2,3 km de canal e oito pontilhões.

Já a segunda etapa das obras de revitalização do Canal, foi iniciada em 2019, prevendo o  alargamento e o revestimento que fazem parte das intervenções urbanísticas na Via Metropolitana Norte. A obra abrange 2,2 km de canal, alças de acesso a PE-15, quatro pontilhões e 6,1 km de vias marginais que conectam a rodovia à ponte do Janga. O projeto da Via Metropolitana é dividido em cinco fases. 

Na Fase 1, a pavimentação de faixas de rolamento às margens do canal está em fase de convite às empresas remanescentes da licitação, após distrato unilateral, com saldo restante de R$ 5.154.214,64. Na Fase 2, em execução, a construção das alças de acesso passa por obstáculos como desapropriações e remoção de interferências, com contrato de R$ 24.912.308,05. 

A Fase 3, mais recente fase destravada, visa a  pavimentação de vias marginais até a Avenida Sérgio G. Vasconcelos, com saldo contratual de R$ 23.108.840,61.

Na Fase 4, em execução, ocorre o alargamento e revestimento do canal até a ponte de Rio Doce, com saldo contratual de R$ 51.733.748,71 e previsão de conclusão para o primeiro semestre deste ano. 

Por fim, a Fase 5, com resultado de licitação em fase de homologação para contratação com o vencedor, prevê alargamento do canal até a Ponte do Janga, com 1,1 km de vias marginais, com recursos previstos de R$ 127 milhões, sendo parte proveniente do PAC do governo federal. A obra tem prazo de 18 meses para conclusão.