Reviravolta

VÍDEO: Web resgata denúncias de DAMARES ALVES sobre ilha de MARAJÓ chamadas de FAKE NEWS

Nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, #Damares estava no top 1 dos assuntos do momento no Twitter e #IlhadeMarajó continuava entre os 15.

Damares paralisia herpes zoster
Damares Alves. Foto: Reprodução.

Voltou à tona os problemas sociais vivenciados por crianças na Ilha de Marajó, no Pará, após viralizar uma canção da cantora gospel Aymeê, que expõe a exploração infantil na região, crime que favorece o tráfico de órgãos e a prostituição infantil.

A senadora Damares Alves (Republicanos-DF), enquanto ministra da Família e Direitos Humanos, alertou sobre os problemas sociais da região e chegou a ser alvo de críticas e sanções por falar a respeito.

Nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, #Damares estava no top 1 dos assuntos do momento no Twitter e #IlhadeMarajó continuava entre os 15.

Ao assumir a pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, no governo de Jair Bolsonaro, em 2019, Damares divulgou o programa “Abrace o Marajó”, que tinha como objetivo implantar programas sociais para reduzir a fome que leva a situações como a exploração sexual de menores, com meninos e meninas se prostituindo para ter o que comer.

Após a cantora paraense Aymeê viralizar participando do Dom Reality – um reality show de música cristã -, onde fala do Marajó e o desaparecimento de uma criança, muitas pessoas passaram a dizer que Damares sempre teve razão de expor a questão tão desacreditada, mas cruel, e que a situação precisa de uma resposta rápida do poder público e da sociedade brasileira.

A própria senadora Damares compartilhou a canção da jovem cantora e recebeu apoio em suas redes sociais. A cantora Soraya Moraes, por exemplo, comentou que a ex-ministra sempre esteve certa sobre a situação no Marajó.