Ação

Deputado do PL aciona JUSTIÇA contra MTST por intolerância religiosa em post sobre Jesus

Na imagem, o movimento colocou uma foto de Cristo crucificado e três soldados romanos ao lado falando "bandido bom é bandido morto".

MTST na sexta-feira santa, publica imagem de Cristo vilipendiando religião.
Imagem publicada. Foto: Reprodução

O deputado estadual Danilo Balas (PL-SP) pediu que o Ministério Público de São Paulo investigue o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) por intolerância religiosa.

O pedido como base uma publicação feita pelo MTST nas redes sociais na Sexta-feira Santa. Na postagem, Jesus Cristo aparece crucificado enquanto um soldado romano diz: “bandido bom é bandido morto”.

Com as críticas, o movimento disse que “faltou interpretação” sobre a publicação e usou a passagem bíblica de Lucas, capítulo 23, que fala sobre a crucificação, para se justificar.

Na representação enviada ao MP, o deputado afirma que a publicação “buscava chocar o público cristão e escarnecer sua fé´”. No pedido, o partido fala em “incitação ao preconceito contra os cristãos”.

MTST, na Sexta-Feira Santa, publica imagem de Cristo com frase: “Bandido bom é bandido morto”

A postagem foi divulgada nas redes sociais do grupo de extrema-esquerda, que tem como um de seus principais líderes o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP), atual pré-candidato à Prefeitura de São Paulo.

Vale ressaltar que a cidade que Boulos pretende governar é composta por 58,2% de católicos e 22,1% de evangélicos, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010.

NIKOLAS FERREIRA: “desrespeito contra nossa fé no dia mais sagrado para os cristãos”, sobre post de PÁSCOA do MTST

Na sexta-feira, 29 de março, um deputado federal Nikolas Ferreira utilizou suas redes sociais para expressar críticas a uma publicação compartilhada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) sobre a Páscoa.

Nikolas afirmou em seu no X, antigo Twitter, que o post do MTST teria enterrado a candidatura de Boulos.