A Justiça de São Paulo rejeitou um segundo pedido de prisão contra um homem suspeito de estuprar uma moradora de rua em Santos, litoral de São Paulo. O indivíduo, de 36 anos, enfrenta acusações do Ministério Público de São Paulo (MPSP) por estupro de vulnerável e está aguardando julgamento em liberdade.

Continua após a publicidade:

Durante o processo investigativo, a delegada Débora Lázaro, da Delegacia de Defesa da Mulher de Santos, havia solicitado inicialmente a prisão preventiva do suspeito. Após a apresentação da denúncia pelo MPSP, um novo pedido de prisão foi feito, mas também foi negado pela Justiça.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

O tribunal manteve a posição de que não há fundamentos suficientes para justificar a prisão preventiva. O processo está sendo conduzido em sigilo.

O incidente, supostamente um estupro, foi capturado em vídeo por uma testemunha. Nas imagens, o homem chega ao local de moto, desce do veículo e se aproxima da mulher deitada na calçada.

Ele usa papelões para criar uma espécie de abrigo e então mantém relações sexuais com a moradora de rua. Posteriormente, a mulher se levanta e sai do local aparentando estar desorientada.

Durante interrogatórios, o suspeito afirmou à polícia que houve consentimento mútuo para o ato sexual. Ele alegou ter dado R$ 10 à moradora de rua em troca de um suposto “programa”.

Segundo relatos da delegada Débora Lázaro, o suspeito permaneceu tranquilo durante o depoimento.

Continua após a publicidade:

A moradora de rua recusou a narrativa apresentada pelo homem. Ela negou ter feito um “programa” e afirmou que foi vítima de estupro. Segundo seu relato, ela foi agarrada à força pelo suspeito e sofreu abuso sexual. A enfatizou que não houve penetração.