Relatório

Estados do NORDESTE tem maior CRESCIMENTO DE RECEITA corrente em 2023; SAIBA QUAIS

Dados estão no RREO em Foco Estados + DF, divulgado pelo Tesouro Nacional.

empréstimo consignado devedor estados receita
Real Moeda brasileira. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Arquivo

Os estados do Rio Grande do Norte (14%) e do Piauí (13%) apresentaram os maiores crescimentos, em termos percentuais, de suas receitas correntes em 2023 na comparação com 2022, enquanto São Paulo (-11%) e Minas Gerais (-6%) tiveram as maiores reduções desse indicador no período.

Os dados estão no Relatório Resumido de Execução Orçamentária em Foco dos Estados + DF do 6º bimestre de 2023 , publicado nesta segunda-feira, 4 de março, pelo Tesouro Nacional.

Quando considerada a despesa liquidada, os estados que apresentaram maior crescimento no período analisado foram Mato Grosso (18%), Pará (18%) e Paraná (18%). Já os entes que mais reduziram esse indicador no período foram São Paulo (-6%) e Minas Gerais (-3%).

As despesas de pessoal tiveram a maior participação na composição das despesas corrente em relação à receita total em todos os Estados, com destaque para Rio Grande do Norte (74%), Rio Grande do Sul (65%) e Minas Gerais (64%).

O segundo maior grupo de gasto dos entes foi em despesa de custeio, com os maiores níveis verificados no Amazonas (40%), no Distrito Federal e no Maranhão com 37%.

RAP e DC

Os estados que liquidaram os maiores percentuais de Restos a Pagar (RAP) ao longo de 2023 em relação ao total de RP inscritos até o final de 2022 foram Pará (92%), Amapá (88%) e Alagoas (86%).

Os menores índices de pagamento foram registrados pelos estados do Amapá (13%), do Rio de Janeiro (36%) e de Minas Gerais (40%). Um baixo percentual de RAP pago ao longo do ano é um indicativo de dificuldade em pagar despesas antigas.

O Relatório traz ainda a variação da Dívida Consolidada (DC) apurada em 2023 em relação à Dívida Consolidada verificada em 31 de dezembro do ano anterior.

No período analisado, Paraíba (31%), Pará (29%) e Distrito Federal (20%) foram os estados que tiveram os maiores crescimentos neste indicador, enquanto o Maranhão (-38%), Mato Grosso (-24%) e Acre (-11%) foram os estados que mais reduziram a DC no período analisado.

Poupança Corrente e Investimentos

Em 2023, os estados que apresentaram o maior nível de poupança corrente em relação à Receita Corrente Líquida (RCL) foram Amapá (31%), Espírito Santo (21%), Mato Grosso (20%).

Na outra ponta, os Estados que menos conseguiram acumular poupança corrente foram Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Acre, todos com 7%.

Já os estados que apresentaram os maiores percentuais de investimentos em relação à Receita Total foram Espírito Santo com 20% seguido de Alagoas e Piauí com 16%.

Já os menores índices foram observados no Pernambuco (4%) e no Rio Grande do Norte (3%). O fato de Rio Grande Norte ser o estado que menos investe está relacionado com alta despesa de pessoal que o estado possui, sendo a maior entre os 27 estados, que é de 74% de despesas com pessoal em relação a sua Receita Total.

Despesas por função

Uma novidade de 2023 do RREO em Foco Estados + DF é a apresentação das despesas liquidadas dos Estados por função, que revela quanto os entes gastam em suas áreas de atuação, como educação, saúde, transporte etc.

De acordo com esse indicador, os maiores gastos em relação ao total em Educação foram realizados pelos estados do Acre com 23%, Paraná, Paraíba e Roraima com 22%.

Os menores índices nesse tipo de despesa, por sua vez, foram observados no Rio de Janeiro (11%) e no Alagoas (12%).

Em 2023, os maiores percentuais gastos na função Saúde foram verificados no Tocantins e no Amapá com 21%, enquanto os menores foram registrados em São Paulo, no Mato Grosso do Sul, no Rio de Janeiro e no Mato Grosso com 11%.

Além das funções Saúde e Educação, o relatório traz ainda detalhamento dos gastos nas funções Judiciária, Segurança Pública, Previdência Social, Transporte, Administração e outras despesas.

RREO em Foco

O RREO em Foco – Estados e DF é uma publicação bimestral que traz os principais dados da execução orçamentária das 27 Unidades da Federação, reunindo as informações da execução orçamentária de todos os poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário, incluindo também o Ministério Público e a Defensoria Pública.

O relatório é elaborado com base nos documentos que os próprios entes publicam no Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi), gerido pelo Tesouro Nacional.

Agência Gov