Continua após a publicidade:

O diretor de Benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), André Fidelis, foi exonerado do cargo nesta sexta-feira, 5 de julho.

A motivação se deu após uma série de reportagens revelar a prática de descontos excessivos sobre os vencimentos de aposentados.

Continua após a publicidade:

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular.

Segundo apurado pelo Metrópoles, a demissão ocorreu em meio à investigação da farra dos descontos promovidos por entidades.

As denúncias que chamaram a atenção da Controladoria-Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU) e do próprio INSS.

Continua após a publicidade:

O TCU determinou a apuração das responsabilidades e a suspensão imediata dos descontos feitos por essas entidades.

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou a devolução dos valores descontados ilegalmente dos aposentados.

CARGO DE ANDRÉ FIDELIS NO INSS

André Fidelis ocupava a função de assinar termos de cooperação técnica com associações e sindicatos para oferta de serviços diversos aos beneficiários do INSS.

Segundo as denúncias, ele viu essas entidades aumentarem significativamente seu faturamento e número de filiados.

Continua após a publicidade:

Entre 2023 e 2024, essas organizações receberam mais de R$ 2 bilhões em descontos das aposentadorias.

O faturamento mensal dessas organizações teriam subido de R$ 85 milhões para R$ 250 milhões.

Continua após a publicidade:

As denúncias envolvem ainda acusações de fraudes na filiação de idosos, exacerbando preocupações sobre a vulnerabilidade desses beneficiários frente às práticas questionáveis de algumas entidades vinculadas ao INSS.