Um homem de 24 anos, ativista conselheiro da causa LGBTQIA+, está sendo acusado de assediar sexualmente um adolescente de 13 anos no banheiro de um shopping em Santos, no litoral de São Paulo, na noite da última quinta-feira, 6 de junho.

Segundo Talita Santos, mãe do garoto, seu filho exclamou “eita” ao fechar a porta da cabine do banheiro com força, o que gerou um barulho alto. Nesse momento, o suspeito apareceu e chamou o menor para conversar.

Continua após a publicidade:

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Talita relatou que soube do assédio quando o filho saiu do banheiro e contou o ocorrido. Ela então acionou os seguranças do shopping e aguardou a saída do homem.

A mãe do jovem informou que o suspeito demorou para deixar o banheiro, mas ao sair, tentou negar as acusações.

Enquanto a polícia era acionada, o homem tentou negar as acusações utilizando o que Talita descreveu como “poder de persuasão”.

Continua após a publicidade:

Com a chegada dos policiais, todos foram encaminhados ao 7º Distrito Policial (DP), onde o adolescente foi ouvido e Talita registrou um boletim de ocorrência. O homem foi liberado após o registro.

Revoltada, Talita gravou o rosto do homem e conversou com funcionários de lojas no shopping, que disseram que ele já era conhecido por assediar pessoas dentro do banheiro.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o caso foi registrado como tentativa de estupro de vulnerável na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santos.

Ao portal G1, o suspeito negou a intenção de causar constrangimento e classificou sua fala como uma “piada idiota”. Ele integrava o Conselho Municipal de Políticas LGBT+ de Santos (ConLGBT).

Continua após a publicidade:

Em nota, o Conselho Municipal de Políticas LGBT+ de Santos (ConLGBT) disse que repudia veementemente qualquer forma de comportamento ilícito ou desrespeitoso, seja LGBTQIA+ ou não. O homem solicitou o afastamento do movimento, o que logo foi aprovado.