Em meio ao racha político no União Brasil, após decisão unilateral do presidente Luciano Bivar, que cancelou a convenção do partido, por “vícios”, o vice-presidente, Antônio Rueda, manteve a eleição que está acontecendo nesta quinta-feira, 29 de fevereiro.

Logo no início desta manhã, eram apenas Bivar e Rueda que tinham chapas inscritas no pleito interno. Interlocutores afirmar que a decisão do atual presidente foi já prevendo uma iminente derrota.

Participam da convenção governadores e parlamentares da legenda, de acordo com O Globo, a portas fechadas e sem a presença do deputado federal que busca se manter no comando do União Brasil.

Coletiva cancelada

Luciano Bivar prometeu na quarta-feira (28) conceder uma entrevista coletiva, em que, conforme disse à CNN, iria “expor as corrupções dentro do partido”.

O movimento aconteceu um dia antes da convenção do partido, que passa por disputa interna entre Bivar e os caciques da legenda, além da iminente escolha de Antônio Rueda para comandar o UB.

Conforme divulgou o portal O Globo, Bivar teria ameaçado a integridade física da filha de Rueda em áudio enviado. A gravação foi confirmada pela CNN, que disse não poder verificar o conteúdo. Fazendo mistério, Luciano disse que só comentaria na entrevista, da qual ele desistiu.

Até esta quarta-feira (28), interlocutores do União Brasil afirmavam que só havia uma chapa formalmente registrada para as eleições desta quinta (29), que é a de Rueda como presidente, Elmar Nascimento como líder na Câmara, Efraim Filho como líder no Senado, ACM Neto, como secretário-geral, 56 dos 59 senadores, todos os governadores e prefeitos de capital.

O grupo teria oferecido a Bivar a presidência de honra ou até a secretaria-geral no lugar de ACM Neto, mas ele se recusou e acusou Rueda de traí-lo “depois de mais de 30 anos de amizade”, apurou a reportagem.