O Supremo Tribunal Federal (STF) negou a liminar apresentada pelos deputados federais Pedro Campos (PSB-PE) e Tabata Amaral (PSB-SP), que solicitava a suspensão do relatório do deputado Pastor Eurico (PL-PE) sobre o projeto de lei que proíbe o casamento de pessoas do mesmo sexo.

📲 Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Os parlamentares alegaram que o foco não estava na constitucionalidade material do projeto, mas na “impossibilidade da autoridade coatora submeter à votação proposição legislativa que viola o devido processo legislativo constitucional”.

Continua após a publicidade:

Ambos argumentaram que a matéria não deveria ser relegada à Comissão, e que a proposta tentava alterar e suprimir uma “cláusula pétrea da Constituição”.

Apesar dos argumentos apresentados, o STF tomou uma decisão favorável ao deputado Pastor Eurico, rejeitando o mandado de segurança.

A decisão foi confirmada pelo próprio deputado em suas redes sociais, onde ele expressou sua satisfação com o resultado.

Entenda o caso

Continua após a publicidade: