O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse, em entrevista ao Estadão, que a Suprema Corte ‘ajudou a enterrar a Lava Jato’, elogiou o senador Sergio Moro e disse que o ex-procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol foi “caçado com ç e não com ss”.

Marco Aurélio ainda defendeu a atuação do Ministério Público e da Justiça no caso.

Deltan Dallagnol

O ex-ministro disse que o ex-procurador da Lava Jato eleito deputado federal e que teve o mandato cassado, Deltan Dallagnol, foi “caçado com ç e não com ss”.

Sergio Moro

Segundo Marco Aurélio Mello, a ida do ex-juiz e atual senador Sergio Moro para o governo Bolsonaro foi um erro ‘insano’. Ele conta que Moro foi visitá-lo em seu gabinete quando ainda era ministro, onde o ex-decano lhe falou com ‘franqueza’.

Retrocesso no combate à corrupção

Para o ex-ministro , “houve um retrocesso brutal e não continuamos a caminhar visando tornar o Brasil o que se imagina do Brasil, o Brasil sonhado”.

Segundo Marco Aurélio, se o ministro Teori Zavaschi não tivesse morrido em um acidente aéreo em janeiro de 2017, a investigação da Lava Jato teria se encaminhado para outro rumo. Teori era o relator da operação no STF. Quem ocupou a sua vaga no Supremo foi Alexandre de Moraes.

Marco Aurélio Mello foi ministro do Supremo entre 1990 e 2021. Ele foi indicado para ocupar o cargo por seu primo, o ex-presidente Fernando Collor de Mello.