O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse nesta segunda-feira, 13 de maio, que há “um grito de socorro” dos municípios e que a situação fiscal das prefeituras é “delicada”.

  Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias do Portal de Prefeitura no seu celular

Pacheco defendeu, ainda, o diálogo do governo com os prefeitos em relação à desoneração da folha de pagamentos dos servidores municipais.

Em discurso na abertura da sessão de debates no Senado sobre a situação fiscal dos municípios, Pacheco disse que há “um grito de alerta, quase um grito de socorro” por parte das entidades municipalistas.

O presidente do Senado citou um estudo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) que conclui que 49% das prefeituras brasileiras fecharam o ano de 2023 em déficit.

No ano passado, o déficit global das prefeituras foi de R$ 9,8 bilhões, segundo esse estudo, anunciou Pacheco.

Segundo Pacheco, os municípios vivem, ainda, uma “situação delicada” em relação às dívidas previdenciárias.

O presidente do Senado afirmou que se empenhou no diálogo com o governo em torno da desoneração da folha de pagamento dos 17 setores e defendeu que o mesmo ocorra com os municípios.

A sessão de debates ocorre às vésperas do que é tido como “deadline” para um acordo entre governo e municípios em torno da desoneração das prefeituras.

A redução na alíquota foi aprovada no ano passado junto da desoneração dos 17 setores econômicos, mas suspensa por decisão do ministro Cristiano Zanin, do Supremo Tribunal Federal (STF). No caso dos setores da economia, já há um acordo encaminhado com o Palácio do Planalto.

Estadão Conteúdo