A Petrobras investirá cerca de R$ 350 milhões nos próximos 4 anos na capacitação de 19.560 profissionais para o setor de energia em Pernambuco, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. A área de abrangência da Refinaria Abreu e Lima (RNEST) receberá o maior quantitativo de vagas do Programa, cerca de 7.400 ao longo dos 4 anos do programa.

Continua após a publicidade:

Desse total serão cerca de 550 vagas para cursos de ensino técnico e 6.832 vagas para cursos Formação inicial e Continuada (FIC). Nesta quinta-feira (27/06) foi assinado, em evento na RNEST, o convênio da Petrobras com os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, representados pela Fundação Ennio de Jesus Pinheiro Amaral de Apoio ao Instituto Sul-rio-grandense (FAIFSul).

Em Pernambuco estão previstas mais de 60 turmas para o segundo semestre desse ano, totalizando 1700 vagas de qualificação profissional oferecidas ainda em 2024. Os editais para inscrição nas vagas devem ser lançados na última semana de julho.

Entre os cursos oferecidos no estado de Pernambuco estão os de Caldeireiro, Eletricista, Inspetor, Instrumentista, Isolador, Mecânico Montador e de Manutenção, Montador de andaime, Soldador e técnico em Automação, Eletrotécnica, Mecânica, Planejamento e Segurança.

Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia serão responsáveis por mais de 6.800 vagas distribuídas em 17 cursos FIC e 9 cursos técnicos. Além dos Institutos Federais, a Petrobras também irá celebrar nos próximos dias convênio com o Sistema S, representado pelo SESI-SENAI Rio de Janeiro. O SENAI oferecerá 12.750 vagas em 23 cursos FIC e 9 cursos técnicos.

A iniciativa amplia as oportunidades de trabalho especialmente para pessoas residentes nas proximidades da Petrobras nos estados participantes, priorizando o atendimento de pessoas com baixa renda ou sem vínculo formal de emprego; mulheres; pessoas transgênero, transexuais ou travestis; pessoas com deficiência; indígenas e quilombolas; pessoas pretas e pardas e refugiadas.
 
“As vagas abertas têm conexão com o déficit de mão de obra qualificada nas empresas fornecedoras do setor de Óleo e Gás. Faltam profissionais capacitados para atuar em paradas de manutenção e projetos de investimento previstos no Plano Estratégico da Petrobras e acreditamos que a oferta desses cursos pode impulsionar as oportunidades para as comunidades próximas das nossas instalações.

Com o curso concluído, os egressos serão orientados a buscar vagas no Sistema Nacional de Emprego (SINE). Da mesma forma, vamos estimular nossos fornecedores a oferecerem suas oportunidades de trabalho no SINE”, explica José Maria Rangel, Gerente Executivo de Responsabilidade Social da Petrobras.

Entre os cursos oferecidos estão, por exemplo, de Auxiliares e Ajudantes (Civil, Elétrica, Instrumentação, Mecânico, Tubulações, Diversos), Caldeireiro, Eletricista, Mecânico Montador, Mecânico de Manutenção e Soldador. Esses cursos terão duração de 4 a 9 meses e o pré-requisito é ter o ensino fundamental.). Para os cursos de nível técnico, como Técnico em Automação, Eletrotécnica, Mecânica, Planejamento e Segurança, com dois anos de duração, será exigido o ensino médio completo.

Continua após a publicidade:

Além dos conteúdos técnico-profissionais, os alunos terão aulas de segurança do trabalho, acompanhamento psicossocial e desenvolvimento de habilidades pessoais (soft skills). Para os alunos dos cursos FIC haverá ainda reforço de português e matemática para corrigir eventuais lacunas de formação básica e para a melhoria da escolaridade dos participantes.

Capacitação com atenção aos direitos humanos

O Programa Autonomia e Renda Petrobras vai priorizar moradores dos municípios localizados na área de abrangência das operações da Companhia, contribuindo para desenvolver talentos locais. A seleção vai atribuir pontuação adicional para inscritos com baixa renda ou sem vínculo formal de emprego; mulheres; pessoas transgênero, transexuais ou travestis; pessoas com deficiência; indígenas e quilombolas; pessoas pretas e pardas; e refugiadas.

Os cursos serão de meio período e os alunos e alunas receberão bolsa-auxílio de R$ 660,00 mensais ou R$ 858,00 mensais para mulheres com filhos até 11 anos. Além disso, os Institutos Federais oferecerão espaços infantis para desenvolvimento de atividades para as crianças durante o período em que a(o) responsável esteja no curso.

As instituições parceiras divulgarão os cursos por meio de editais de seleção específicos nos quais serão informadas as formas de inscrição, que serão preferencialmente online. Até 170 turmas devem ser oferecidas ainda em 2024. A previsão é que em 2025 sejam realizadas mais de 360 turmas e 277 turmas entre 2026-27.

Da redação do Portal com informações da Petrobras

Continua após a publicidade: