O Instituto Paraná Pesquisas divulgou, na quinta-feira, 26 de outubro, um segundo levantamento que aponta Michelle Bolsonaro, ex-primeira-dama, como a candidata favorita para uma vaga no Senado que poderia se abrir caso o senador Sergio Moro seja cassado. Apesar de não ter residência eleitoral no estado, a líder do PL Mulher é apontada com 35,7% das intenções de voto em uma pesquisa estimulada.

A ação contra Sergio Moro no TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) foi instaurada pelo partido da ex-primeira-dama e do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em conjunto com o PT.

Leia também:
>>>SERGIO MORO pode ter mandato cassado após intimação do TRE-PR; CONFIRA MOTIVO
>>>Partido de Bolsonaro planeja lançar Michelle como senadora em 2026

Continua após a publicidade:

O partido de direita aponta irregularidades nos gastos de campanha quando o ex-juiz lançou sua candidatura à Presidência da República pelo Podemos e, posteriormente, migrou para o União Brasil para concorrer à uma vaga no Senado. Enquanto isso, a legenda de esquerda menciona “inúmeras ilicitudes” e “movimentações financeiras suspeitas” como justificativa para a ação.

Caso ocorra a cassação, a vaga na Casa Alta abrirá caminho para a convocação de novas eleições, o que tem impulsionado negociações internas nos partidos. Outros nomes influentes em Brasília também estão na disputa, como o ex-governador Alvaro Dias (Podemos), que tem o apoio de 24,4% do eleitorado, e a deputada federal e ex-senadora Gleisi Hoffmann (PT), que possui 16,2% de preferência.

A pesquisa também apontou que a esposa de Sergio Moro, a deputada federal Rosângela Moro (União-SP), tem apenas 7,4% das intenções de voto, mesmo também não tenha domicílio eleitoral no Paraná. As limitações para as candidaturas da ex-primeira-dama e da parlamentar do União Brasil também são aspectos abordados no estudo.

Retirando as duas candidatas possíveis, Alvaro Dias (34,4%) e Gleisi Hoffmann (16,7%) são os favoritos na disputa pela vaga. O deputado Paulo Martins (PL-PR) e o ex-ministro Ricardo Barros (PP), também aparecem bem posicionados na pesquisa, com 14,3% e 9,1% respectivamente.

O levantamento ouviu 1.556 eleitores no estado do Paraná entre os dias 19 e 23 de outubro, a margem percentual de erro é de 2,5 pontos e nível de confiança de 95%.

Continua após a publicidade: