Mudança

Javier Milei anuncia embaixada da Argentina em Jerusalém

O presidente da Argentina fez uma visita emocionante ao Muro das Lamentações em Jerusalém, onde dedicou tempo para orações.

Javier Milei anuncia embaixada da Argentina em Jerusalém
Foto: Instagram de Javier Milei

O presidente da Argentina, Javier Milei, fez uma visita emocionante ao Muro das Lamentações em Jerusalém, onde dedicou tempo para orações em um dos locais mais sagrados para o judaísmo.

Durante sua estadia na Terra Santa, Javier Milei também anunciou seus planos para transferir a embaixada argentina de Tel Aviv para Jerusalém, uma medida que Israel reconhece como uma afirmação de sua capital.

É importante observar que a maioria dos países mantém suas embaixadas em Israel situadas em Tel Aviv, principalmente porque Jerusalém Oriental é disputada pelos palestinos como sua capital.

O anúncio sobre a transferência da embaixada foi feito por Milei imediatamente após sua chegada a Israel.

Se Milei cumprir sua promessa, a Argentina se juntará a um grupo seleto de países que têm suas principais missões diplomáticas em Jerusalém, em vez de Tel Aviv.

Os Estados Unidos mudaram sua embaixada para a cidade em 2018, durante a presidência de Donald Trump, após reconhecerem Jerusalém como a capital de Israel.

Milei e o judaísmo

Nos últimos anos, Milei se aproximou do judaísmo. A Argentina abriga a maior comunidade judaica da América Latina.

Na terça-feira (06), Milei se reuniu com o presidente Isaac Herzog e na quarta-feira (07) com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

O argentino foi recebido no aeroporto pelo ministro israelense das Relações Exteriores, Israel Katz.

Essa é a segunda viagem ao exterior desde que ele assumiu a presidência, em dezembro. Milei afirmou que quer expressar seu apoio ao povo de Israel e defender o direito à “legítima defesa” do Estado israelense frente aos terroristas do Hamas.

Milei também teve encontros com empresários e rabinos, visitou o museu do Holocausto, Yad Vashem, e esteve em um dos kibutz atacados pelos terroristas do Hamas, que, em 7 de outubro, lançaram um ataque surpresa no sul de Israel que deixou 1.200 mortos.

Com informações do Site Guiame