Proposta

Reunião da SDS sobre medidas de segurança no futebol define uso de câmeras de reconhecimento facial nos estádios

Além do atentado ao ônibus dos jogadores do Fortaleza, foram tratadas medidas que auxiliem na identificação de quem se passa por torcedor para cometer crimes.

SDS
SDS se reúne com presidentes dos clubes de futebol e órgãos parceiros. Foto: Carlos Medeiros/SDS

Secretaria de Defesa Social (SDS), junto com a Casa Civil do Governo do Estado, se reuniu na Secretaria de Planejamento, Gestão e Desenvolvimento Regional (Seplag) com os presidentes dos Clubes de Futebol (Sport, Náutico e Santa Cruz), o Tribunal de Justiça, Ministério Público, OAB e Comissão de Segurança da Alepe, além das Forças de Segurança.

Na pauta, além do atentado ao ônibus dos jogadores do Fortaleza, foram tratadas medidas que auxiliem na identificação de quem se passa por torcedor para cometer crimes, como por exemplo, ingresso personalizado e intransferível, já utilizado em shows, cadastro dos torcedores pelos clubes, restrições sobre torcidas organizadas, reforço de escolta policial dos times visitantes e implantação de câmeras de reconhecimento facial nos estádios.

Sobre as medidas anunciadas para reduzir a violência nos jogos, a implantação de câmeras de reconhecimento facial nos estádios auxiliará na identificação de criminosos infiltrados nas torcidas.

Tal como aconteceu no Carnaval, a SDS utilizará, de forma integrada, o sistema do Banco Nacional de Mandados de Prisão, que possui 15 mil fotografias de procurados pela polícia no Estado.

Gestor esteve acompanhado pela secretária executiva, Dominique de Castro Oliveira, que coordena o Grupo de Trabalho (GT) Futebol da SDS; o comandante da PM, coronel Ivanildo Torres; e o chefe da Polícia Civil, delegado Renato Rocha, entre outros representantes das Forças de Segurança.

Outra medida importante solicitada aos clubes pernambucanos foi que os ingressos sejam identificados e que não possam ser transferidos, a exemplo do que já ocorre em outros estados.

Ela também comentou que, a partir do atentado ao Fortaleza, novos procedimentos de escolta serão adotados já que “nunca houve em Pernambuco um crime dessa natureza contra uma delegação” e anunciou que “alguns indivíduos já foram identificados pela Polícia Civil e está certa que será dada uma resposta incisiva e contundente na proporção que foi o caso”.

Durante a reunião, o presidente do Sport, Yuri Romão, informou que recebeu uma determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por meio de medida cautelar, para que os próximos jogos do clube, da Copa do Nordeste, aconteçam de portões fechados, sem a presença da torcida, além de punição financeira também.

O dirigente do Sport lamentou que a decisão acabe punindo o torcedor de bem, mas se colocou à disposição para fazer os ajustes necessários e colaborar com a SDS.

E apesar do atentado, elogiou a atuação da Polícia Militar, no policiamento antes, durante e depois da realização dos jogos.

Os presidentes do Náutico e do Santa Cruz, Bruno Becker e Bruno Rodrigues respectivamente, além do presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, também se colocaram à disposição da SDS para colaborar com as medidas de combate à criminalidade dentro e fora do campo.

Secretaria de Defesa Social