Após a tensão durante a votação da CCLJ, onde a governadora Raquel Lyra (PSDB) obteve a vitória no projeto de lei sobre o fim das faixas salariais para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, ela decidiu fazer um gesto.

Na terça-feira, 2 de abril, os representantes das categorias expressaram descontentamento com o resultado e organizaram um protesto em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), prometendo futuras mobilizações contra a aprovação final da proposta nos termos enviados pela governadora.

Nesta quarta-feira, Raquel autorizou a promoção de mais de 100 PMs e bombeiros a cargos como coronel, primeiro-tenente, tenente-coronel e até capitão, todos baseados em critérios de antiguidade e mérito.

Das vezes que se viu pressionada por alguma categoria, a governadora tem feito anúncios positivos direcionados a esse grupo.

Isso aconteceu também com os professores, quando no ano passado os profissionais de educação enfrentaram uma batalha em relação ao projeto que estabeleceu o piso salarial, resultando em uma escalada de tensões entre os poderes Legislativo e Executivo.

Na ocasião, Raquel anunciou a nomeação de 596 aprovados em um concurso realizado na gestão anterior.

Apesar das tentativas de promover medidas positivas em meio às crises, a estratégia de mitigação de danos não convence completamente e o Palácio do Campo das Princesas continua enfrentando críticas de diversas áreas, acumulando descontentamentos entre várias categorias, não só na Segurança Pública, Educação e Saúde, mas também na classe política.

Da Redação do Portal com informações do Blog Cenário