O Governo de Pernambuco, por meio da Procuradoria-Geral do Estado, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal, nesta terça-feira, 29 de março, manifestação prévia em resposta à ação apresentada pelo governo federal que tenta retomar a titularidade dominial do arquipélago de Fernando de Noronha.

A petição elenca os mesmos argumentos já acatados pela Justiça Federal em Pernambuco, e que demonstram a inconstitucionalidade do pleito da Advocacia-Geral da União.

Veja também:
>>>Governador Paulo Câmara diz que é uma afronta Bolsonaro querer tirar a Ilha de Fernando de Noronha de Pernambuco e aciona o STF

O texto da Constituição Federal de 1988 é claro. Todas as ilhas oceânicas do País são de propriedade da União, com exceção das que pertencem ao arquipélago de Fernando de Noronha, que foram reincorporadas ao Estado de Pernambuco. O documento, com oito páginas, detalha o assunto e servirá de base para a audiência solicitada pelo governador Paulo Câmara ao ministro Ricardo Lewandowski, relator do caso no STF.

O Governo de Pernambuco tem trabalhado intensamente na infraestrutura da ilha, promovendo a melhoria de vida de seus moradores e a preservação do meio-ambiente. São mais de R$ 50 milhões investidos em Fernando de Noronha nos últimos anos. Entre as ações realizadas, é possível destacar:

  • Instalação de quatro usinas solares. Duas já em operação e duas em obras;
  • Instalação de Ecoposto com energia produzida por placas fotovoltaicas, com capacidade para a recarga de até seis carros elétricos ao mesmo tempo;
  • Entrega de 26 casas populares e concessão de 315 lotes, diminuindo o déficit habitacional da ilha;
  • Melhoria do acesso em onze estradas vicinais;
  • Instalação de 370 lâmpadas de LED ao longo dos 7,5 quilômetros da BR-363, que corta toda a ilha;
  • Sinalização e balizamento noturno do aeroporto e dos morros do entorno;
  • Novo dessalinizador, com capacidade cinco vezes maior de produção de água potável, acabando com o rodízio no abastecimento da ilha;
  • Requalificação do Porto de Santo Antônio;
  • Reforma do Posto de Saúde da Família, requalificação do Hospital São Lucas e instalação de banco de sangue;
  • Inclusão de Noronha no Programa Mãe Coruja, com assistência às gestantes da ilha;
  • Requalificação e ampliação da creche, instalação de duas bibliotecas, parque infantil e campo de futebol society;
  • Programa Plástico Zero, que livrou a ilha das embalagens plásticas e diminuiu consideravelmente a contaminação do meio-ambiente;
  • Programa Carbono Zero, com a introdução de veículos elétricos na ilha e a meta de eliminar a circulação de carros a combustão em Noronha até 2030;
  • Instalação do Laboratório de Economia Circular, que incentiva a reciclagem e gera renda para a população com o reaproveitamento de latas de alumínio.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações do Governo de Pernambuco.