O deputado federal Ricardo Barros (PP-PI), líder do governo na Câmara, reagiu mais uma vez aos trabalhos da CPI da Pandemia no Senado. Na noite de terça-feira (19), Barros disse que o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), “não engoliu” suas falas e prometeu processá-lo.

“O relator, senador Renan Calheiros, não engoliu eu ter dito na CPI o mal que ela fez ao Brasil”, disse Barros.

Veja também:
>>>Renan Calheiros faz leitura do relatório final da CPI da Pandemia 

O deputado Ricardo Barros falou sobre o Caso Covaxin — uma negociação entre o governo e a farmacêutica Precisa Medicamentos par a compra superfaturada da vacina indiana Covaxin contra a covid-19. Ele voltou a negar envolvimento no caso.

Continua após a publicidade:

“Todos os depoentes ouvidos na CPI, sem exceção, me isentaram de envolvimento na Covaxin. A CPI não pode ignorar o fato de que a investigação negou as suspeitas. Vou processar Renan”, afirmou o líder do governo.

Na manhã desta quarta, 20 de outubro, Barros voltou a mencionar a CPI. O deputado postou trecho do jornalista William Bonner lendo o que ele escreveu e disse que foi mais citado no relatório final da comissão do que o presidente Jair Bolsonaro.

O relatório final da CPI foi lido hoje. Barros é um dos 73 indiciados, sendo 71 pessoas físicas e duas pessoas jurídicas. A Precisa Medicamentos, envolvida no caso, também foi lembrada por Renan.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações da Agência Brasil.