De acordo com dados fornecidos pelo Ministério da Previdência Social à Câmara dos Deputados, o tempo médio de espera para a realização de perícia médica necessária para a obtenção de benefícios do INSS é quase cinco vezes maior na região Nordeste do Brasil do que no estado do Rio de Janeiro, que apresenta menor número.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) conduz a perícia médica como parte do processo de concessão de benefícios, como aqueles relacionados à incapacidade temporária, anteriormente conhecidos como auxílio-doença.

Os números foram encaminhados à Câmara dos Deputados em resposta a um questionamento dirigido ao ministério sobre a promessa do ministro da Previdência, Carlos Lupi, de eliminar a fila de espera do INSS até o final de 2023, objetivo que não foi alcançado, segundo informações do G1.

Apesar da promessa, feita no início do ano passado, Carlos Lupi declarou em janeiro deste ano que a fila “nunca vai acabar” e comprometeu-se a reduzir o prazo médio de espera para o recebimento dos benefícios para 30 dias.

94 dias é tempo médio de espera no nordeste

Ainda segundo os dados do ministério, entre agosto de 2023 e fevereiro deste ano, observou-se uma queda no tempo médio de espera pela realização da perícia médica em todas as unidades regionais da Previdência Social.

A redução é atribuída pela pasta a medidas como o pagamento de bônus para peritos e a implementação do Atestmed, uma modalidade em que a análise é feita de forma documental, sem a necessidade de perícia médica presencial.

Apesar da diminuição no tempo de espera, em algumas regiões, o período ainda ultrapassa os 45 dias, considerado pela própria pasta como um “parâmetro temporal para avaliar a qualidade do atendimento da Previdência”.

Veja ranking de regiões por dias

  • Nordeste: 94,47 dias (praticamente três meses);
  • Centro-Oeste e Norte: 84,09;
  • Minas Gerais e Espírito Santo: 29,69;
  • Região Sul: 23,26;
  • São Paulo: 22,01;
  • Rio de Janeiro: 19,28.

Nordeste possue 400 mil agendamentos

O Órgão revelou que existem atualmente 400 mil perícias agendadas na região do Nordeste, enquanto conta com 640 peritos em atuação nos nove estados. A pasta destacou que espera que as mudanças implementadas no atendimento contribuam para acelerar a redução do tempo de espera.

“Essa queda se mantém progressivamente e acelerará nos próximos meses, já que por meio dos atendimentos por telemedicina estamos utilizando mão de obra de outros estados, como Sul e Sudeste, para atendimentos no Nordeste”, diz a Previdência.