O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) disse à Coluna do Estadão nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, estar sem clima para pescar após ser alvo da Operação Tempus Veritatis da Polícia Federal (PF).

Ainda na entrevista, o ex-chefe do Executivo afirmou não saber o motivo da ação, e que vai buscar ter acesso ao inquérito junto aos seus advogados.

Bolsonaro também comentou que os agentes da PF foram respeitosos durante a operação, mas que percebeu alguns deles constrangidos.

Segundo a Polícia Federal, a operação busca apurar a organização criminosa responsável por atuar em tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito.

A operação também prendeu os ex-assessores Filipe Martins e Marcelo Câmara.

Segundo a Polícia Federal, estão sendo cumpridos um total de 33 mandados de busca e apreensão, além de quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão.

Entre elas, estão a proibição de manter contato com os demais investigados, suspensão do exercício de funções públicas e proibição de se ausentarem do País.

Jair Bolsonaro foi sujeito a medidas restritivas, como a exigência de entregar seu passaporte às autoridades dentro de um prazo de 24 horas.

Em entrevista a uma coluna do Metrópoles, Bolsonaro enfatizou que não sente medo em relação à possibilidade de ser preso.